Inovações da medicina na Alemanha

Robótica, inteligência artificial e novos materiais. Diversos campos da medicina estão sendo pesquisados intensamente na Alemanha. Três exemplos.

O Dr. Tian Qui pesquisa no setor de micro-robôs
O Dr. Tian Qui pesquisa no setor de micro-robôs Universität Stuttgart/Sven Cichowicz

A Alemanha tem condições excepcionais para inovações. Deutschland.de apresenta aqui três cientistas e seus temas de pesquisa.

O Dr. Tian Qui pesquisa o emprego de sensores e da pilotagem de micro-robôs no campo médico. Ele é diretor de uma unidade fundada em julho de 2019 na universidade de Stuttgart, a Biomedical Microsystems, que pertence à associação de pesquisa Cyber Valley, no Estado de Baden-Württemberg. Nosso trabalho está centrado no desenvolvimento de sistemas autônomos que podem se movimentar através dos tecidos, explica o engenheiro chinês, que veio para Stuttgart para fazer seu doutorado no Instituto Max Planck de Sistemas Inteligentes. Qui e seus colegas formam um grupo que foi o primeiro no mundo a pilotar um nano robô pelo vítreo do olho de um porco. Futuramente, esses robôs deverão transportar os medicamentos necessários ao exato lugar do corpo.

No departamento de Digital Health – Personalized Medicine do Instituto Hasso Plattner (HPI) de Potsdam, as pesquisas visam encontrar novas possibilidades da digitalização da medicina do futuro. Nesse departamento trabalha também a Dra. Hanna Drimalla como investigadora pós-doutorado do HPI. Os setores principais dessa psicóloga e informática são os fatores de risco de doenças psíquicas. Atualmente, estamos tentando descobrir se é possível deduzir situações corpóreas mensuráveis de estresse, como o aumento de cortisol, partindo de micro-mudanças na altura e frequência da voz humana, explica Drimalla. Já se concluiu uma primeira pesquisa-piloto que trouxe resultados muito promissores.

Dr. Hanna Drimalla
Hanna Drimalla Kay Herschelmann

A personalização da medicina está progredindo muito. Seu principal destaque é o desenvolvimento no setor dos implantes médicos, onde o Dr. Theodor Doll está pesquisando, no Instituto Fraunhofer de Toxicologia e Medicina Experimental (ITEM), em Hanôver. Doll e seu grupo desenvolveram métodos que possibilitam, pela primeira vez, que o silicone médico seja produzido em um processo de impressão 3D. Doll, que também é catedrático de Biomedical Engineering na universidade Medizinische Hochschule Hannover, tem muito orgulho em cooperar nessa abordagem interdisciplinar do ITEM. Trabalhamos não só em materiais, mas continuamos também enfocando todo o desenvolvimento de implantes inteligentes, com todas as suas implicações científicas, regulatórias e sociais

Dr. Theodor Doll
Theodor Doll Fraunhofer ITEM

© www.deutschland.de

You would like to receive regular information about Germany? Subscribe here: