A obra de Le Corbusier como patrimônio mundial

A UNESCO decide em 2016, se o conjunto de obras do arquiteto suíço-francês ganhará o título de patrimônio mundial. Dela também fazem parte duas casas em Stuttgart.

gonzalez/weissenhofmuseum - Haus Le Corbusier in der Weissenhofsiedlung Stuttgart

Esse requerimento é verdadeiramente global: Argentina, Bélgica, Alemanha, Índia, Japão e Suíça candidatam-se conjuntamente ao título de patrimônio mundial da UNESCO. O que os interliga? Em todos estes países, deixou seus vestígios um dos mais importantes arquitetos e urbanistas do século 20, Le Corbusier. Na Alemanha, são duas casas no conjunto habitacional Weissenhofsiedlung, em Stuttgart, que foram projetadas por Le Corbusier.

Com suas 33 casas no estilo bangalô, o Weissenhofsiedlung foi, em 1927, parte da exposição de arquitetura “Die Wohnung”, que deveria dar respostas contemporâneas à questão da “moradia adequada” e que obteve atenção internacional. Ela foi organizada pelo Deutscher Werkbund, pela cidade de Stuttgart e pelo arquiteto Mies van der Rohe. O conjunto habitacional é tido como “Manifesto do Modernismo”, e os projetos de Le Corbusier despertaram interesse especialmente grande. Entre outras coisas, na sua casa geminada, a divisão dos cômodos podia ser modificada através de paredes corrediças. As casas mostram “o papel destacado de Le Corbusier para a arquitetura do século 20”, segundo a cidade de Stuttgart.

Já é a terceira tentativa

Em julho de 2016, a UNESCO decide se as casas em Stuttgart – juntamente com 16 outras obras nos países parceiros – merecem o título de “Patrimônio Mundial”. Para os candidatos, esta já é a terceira tentativa. Em 2009 e em 2011, o requerimento foi indeferido, por objeção do Conselho Internacional de Monumentos e Sítios (ICOMOS). Isto decorreu do fato de a solicitação ter suscitado dúvidas sobre a definição de “Patrimônio Mundial”. Anteriormente, somente prédios isolados ou complexos prediais tinham sido destacados com o título. Neste caso, porém, deveria ser agraciada a obra completa de um artista. Se a ideia original de patrimônio mundial seria desmerecida ou não, isto foi no passado objeto de intensas discussões. Entretanto há outros exemplos de patrimônios mundiais – como o das mansões de Andrea Palladio na região italiana de Veneto, que não se limitam a um único sítio. Os entusiastas da arquitetura em todo o mundo esperam que desta vez dê certo também para Le Corbusier.

Reunião do Comitê do Patrimônio Mundial da Unesco, de 10 até 20 de julho de 2016 em Istambul.

www.stuttgart.de/weissenhof

www.unesco.de/kultur/welterbe/welterbe-deutschland/tentativliste.html

© www.deutschland.de