Bonn, Cidade da ONU: Centro da Sustentabilidade

Bonn desenvolveu um perfil claro como polo da ONU e lugar do diálogo global sobre temas do futuro. 20 instituições da ONU sentem-se em casa no “campus” da ONU.

Campus da ONU em Bonn
Campus da ONU em Bonn laif

Visto de baixo, o “Langer Eugen” parece ainda mais impressionante do que já é. 115 metros de aço, vidro e madeira – um forte símbolo e um destaque arquitetônico à margem do Reno em Bonn, no antigo bairro do Parlamento. Quem passa pelo controle de segurança e desce o curto caminho para o prédio, sente a atmosfera especial desse lugar. Daí partiram antigamente sinais para todo o país, na época em que ainda abrigava os escritórios dos deputados ao Parlamento Federal alemão. 20 anos após a mudança do governo federal para Berlim, partem daí mensagens para todo o mundo. Em vez de uma nação, hoje atuam aí (quase) todas as nações, a fim de tornar a Terra um tanto melhor. 20 instituições das Nações Unidas estabeleceram-se em Bonn e formam o coração de uma rede sinergética: rodeados de repartições federais e ministérios, organizações internacionais governamentais e não governamentais, instituições científicas e empresas operantes em todo o mundo, os funcionários e funcionárias da ONU fazem tudo para implementar as 17 metas do desenvolvimento sustentável formuladas na Agenda 2030, denominadas Sustainable Development Goals (SDGs).

Bonn sediou a conferência climática mundial COP23 em 2017
Bonn sediou a conferência climática mundial COP23 em 2017

Também as sedes em Bonn do Secretariado das Nações Unidas para Combate à Desertificação (CNUCD), do Programa de Voluntários da ONU (UNV), bem como escritórios de diversos acordos de preservação de espécies, dedicam-se a estas metas. O Global Festival of Action, que a Campanha de Ação SDG organiza anualmente no World Conference Centre em Bonn, demonstra o dinamismo e o entusiasmo, com que se trata dessas tarefas do futuro em todo o mundo. A cúpula mundial do clima de 2017, na sede do Secretariado do Clima das Nações Unidas em Bonn (COP23), foi a maior conferência internacional já realizada na Alemanha.

Bonn é o centro alemão de competência para a política internacional e as estratégias globais de sustentabilidade.

 

António Guterres, secretário-geral das Nações Unidas

Com a “Convenção de Bonn”, o Secretariado da Convenção sobre a Conservação das Espécies Migratórias de Animais Silvestres foi a primeira instituição da ONU a fixar sua sede em Bonn, em 1984. Um decênio mais tarde, a “Lei Berlim/Bonn” fixou o papel da Cidade Federal como polo da política de desenvolvimento e de instituições internacionais. Desde então, Bonn transformou-se em Cidade da ONU e em protagonista global em questões de proteção do clima e de sustentabilidade. O Secretariado da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre a Mudança do Clima (CQNUMC), sob a direção da diplomata mexicana Patricia Espinosa e com seus cerca de 500 funcionários e funcionárias, a maior instituição da ONU em Bonn, deve fomentar a implementação mundial do Acordo de Paris.

O “campus” da ONU abriga entretanto cerca de 1000 funcionários, com tendência a aumentar. Ao lado do “Langer Eugen”, está sendo construído atualmente outro prédio para a ONU, com mais 330 escritórios. “A localização oferece algumas vantagens”, afirma o austríaco Christian Hainzl, diretor do Common Services Unit (UNV), que cuida das questões administrativas do “campus” da ONU. “A Alemanha é uma anfitriã muito generosa, até mesmo a política municipal cuida muito bem de nós. Além disso, eu sinto a população como franca, o que resulta numa alta qualidade de vida”.

Busca de respostas globais

Bonn tem, de fato, muita coisa a oferecer. Cerca de 30 km. ao sul de Colônia, a cidade está localizada diretamente às margens do Reno, cercada pelas montanhas da Siebengebirge e, do outro lado, pelas vertentes do Eifel. Com cerca de 330 000 habitantes, a cidade natal de Beethoven não é nenhuma metrópole, mas é bastante grande para uma vida cultural variada. Através do CNUCD, até mesmo um Secretariado da ONU engaja-se nesse setor, apoiando desde 2017 o “Over the Border”, festival de música mundial. “Para nós, essa é uma oportunidade excelente de chamar atenção para a nossa missão”, diz o porta-voz do CNUCD, Marcos Montoiro. “Desertificação, seca e degradação do solo são problemas, que não se limitam às regiões de deserto na África”, afirma o espanhol. “Necessitamos de uma resposta global e temos de lutar por isso em todas as oportunidades que se oferecem”. O festival “Over the Border” é apenas um dos componentes. “É uma chance de agradecer à cidade de Bonn, que nos acolheu tão cordialmente. E através da cooperação, temos a chance de conquistar o apoio de grandiosos artistas para o nosso trabalho”.

Hoje, pessoas de quase 180 nações vivem em Bonn e sentem-se bem em nossa cidade.

Ashok-Alexander Sridharan, prefeito da cidade de Bonn

Por parte da cidade, esse engajamento é apreciado e retribuído. Ela faz publicidade com o bordão “Sustainable Bonn”, incentiva os chamados embaixadores do clima, é atuante na rede internacional “Fair Trade Town” e é um dos quatro “centros da rede de sustentabilidade” na Alemanha. O prefeito Sridharan é presidente da rede de municípios ICLEI, ali sediada. Bonn aproveita as vantagens do polo, oferecidas ao lado da ONU, entre outros, também pelo Departamento Federal de Proteção da Natureza ou pela Sociedade de Cooperação Internacional (GIZ). O mesmo vale para a Universidade de Bonn, com 34 000 estudantes, uma das instituições mais importantes da cidade: assim, o curso “Geography of Environmental Risk and Human Security” oferece o primeiro “joint master” mundial entre uma universidade e a Universidade da ONU. Além disso, elas se juntaram à escola superior Bonn-Rhein-Sieg e outras instituições em Bonn, formando a “Aliança de Bonn para Pesquisa da Sustentabilidade”.

Integrada na vida da cidade

A condição prévia para essa parceria é uma rede confiável que vá além das questões técnicas. E o que poderia unir as pessoas na Renânia melhor do que o carnaval, aquela época de costumes da folia, em que a região está de cabeça para baixo e todos estão mais próximos? Até mesmo a ONU não se fecha a isso – participando ativamente desde 2017. O iniciador foi Patrick van Weerelt, diretor do Centro de Conhecimentos do Desenvolvimento Sustentável, no System Staff College das Nações Unidas. Ele fundou uma associação própria de carnaval para os funcionários da ONU. “Eu constatei em outras cidades-sede, que a comunidade internacional se engaja muito pouco nas tradições da cidade anfitriã”, afirma o holandês. “Quando eu fui convidado para o carnaval, pela primeira vez, achei isso fantástico. A atmosfera animada realmente constrói pontes”. A fundação do grupo “UN-Funken” foi a consequência lógica. “A interação entre nós e a população de Bonn aumentou com isso”, entusiasma-se van Weerelt. “Nós também aproveitamos o carnaval para fazer divulgação da sustentabilidade: assim, coletamos doações para compensar o balanço de dióxido de carbono do desfile da Segunda-feira das Rosas em Bonn”. Para Bonn, esse é mais um sinal de que as Nações Unidas vieram para ficar definitivamente na cidade.

Cultura variada e carnaval: Há sempre alguma coisa acontecendo em Bonn!
Cultura variada e carnaval: Há sempre alguma coisa acontecendo em Bonn!

© www.deutschland.de

You would like to receive regular information about Germany? Subscribe here: