Realizar algo na Alemanha

Três candidatos, que desejam ingressar no Parlamento Federal pela primeira vez, dão uma visão da sua campanha eleitoral.

Plenarsaal
picture alliance/dpa

Video

Video

Video

Em 26 de setembro, a Alemanha elegerá um novo Parlamento Federal. Como funciona a campanha eleitoral? E o que defendem os atores políticos na Alemanha? Três jovens candidatos lhes levam consigo até a eleição do Parlamento Federal nas histórias de nosso canal no Instagram e no Facebook, relatando suas campanhas eleitorais. Eles querem entrar no Parlamento Federal como deputados pela primeira vez. Aqui nós os apresentamos.

Catarina dos Santos Firnhaber (27 anos, CDU)

Catarina Dos Santos Firnhaber
Catarina Dos Santos Firnhaber

Nascida em Lisboa, Catarina dos Santos veio para a Alemanha com seus pais pouco tempo depois. Seu pai é alemão, sua mãe é portuguesa. Ela é muito grata por ter crescido bilíngue em alemão e português, diz ela. Ela visita regularmente a família de sua mãe em Portugal. Catarina dos Santos é advogada de profissão e completou seu estágio jurídico em Lisboa, entre outros lugares. Agora ela está concorrendo como candidata direta ao Parlamento Federal no distrito eleitoral 88 (Aachen II).

Uma característica que a diferencia? Ela sempre foi muito responsável, pelo menos é o que outros dizem sobre ela, afirma Catarina dos Santos. E mesmo quando criança, ela gostava de discutir as coisas e tinha um interesse precoce pela política, acompanhando as notícias e lendo livros de não-ficção. No entanto, ela só se envolveu em trabalho partidário durante seus estudos. O impulso para se engajar na CDU veio de um amigo de escola que ela encontrou por acaso no trem, no início de seus estudos. Eles falaram sobre política local e ele a convidou para participar de um evento da CDU. Ela achou interessante poder fazer algo em nível local e aceitou o convite.

“Acho que é importante se engajar na política porque em particular a minha geração terá que viver com as consequências da política por muito tempo”, diz ela. É por isso que ela acha importante que as pessoas, especialmente as da sua idade, assumam a responsabilidade para ajudar a moldar o futuro.

Hakan Demir (36 anos, SPD)

Hakan Demir
Hakan Demir Hakan Demir

O avô de Hakan Demir veio para a Alemanha em 1970 como trabalhador qualificado no âmbito do acordo de recrutamento com a Turquia. Demir escreve sobre seu avô: “Ao longo de sua vida, ele ficou grato por a Alemanha lhe ter oferecido a oportunidade de possibilitar uma vida melhor à sua família. Ele sempre quis que eu estudasse, aprendesse, fizesse algo de mim mesmo”. Agora Hakan Demir está concorrendo ao Parlamento Federal como candidato direto no distrito eleitoral de Berlim-Neukölln.

Como seu avô, seu pai era trabalhador qualificado na Alemanha. O próprio Hakan Demir também se mudou com sua mãe da Turquia para a Alemanha em 1986, ainda muito jovem – para Krefeld, no Baixo Reno, onde cresceu. Depois que Demir terminou o colégio (Abitur) e prestou o serviço civil, ele tornou-se o primeiro membro da família a fazer curso superior: Ciências Políticas, Filosofia e Administração de Empresas em Trier. Durante seus estudos, ele também passou um ano em Istambul. Após terminar os estudos, em 2012, ele se mudou para Neukölln, um bairro de Berlim. Lá ele começou a trabalhar para o SPD no distrito eleitoral, do qual mais tarde se tornou coordenador.

A campanha eleitoral em época do coronavírus é diferente do habitual, diz ele. Mas: “Ter a oportunidade, no melhor dos casos, de melhorar a vida de muitas pessoas, me motiva a cada dia. Vejo nisto um grande motivo de realização”.

Felix Banaszak (31 anos, Aliança 90/Os Verdes)

Felix Banaszak
Felix Banaszak Markus Laghanke

Ele nasceu em Duisburg – o seu “lar”, como ele diz. Agora ele está concorrendo ao Parlamento Federal no distrito eleitoral de Duisburg II e em 6º lugar na lista estadual da Renânia do Norte-Vestfália. Ele sempre se interessou por política. E como porta-voz dos alunos da escola e membro da conferência escolar, ele fez “política em pequena escala”. No entanto, inicialmente não tinha planejado ingressar num partido político. O ponto de virada veio em 2009, quando ele pôde votar pela primeira vez. Primeiro nas eleições europeias, depois na eleição do Parlamento Federal. Esta última foi decisiva para o seu ingresso no partido. Porque os temas eram importantes para ele. E assim ele se tornou membro dos Verdes cerca de três semanas antes das eleições do Parlamento Federal de 2009. Ele prestou o serviço civil e estudou Antropologia Social e Cultural e Ciências Políticas. Desde janeiro de 2018, Banaszak é presidente do diretório estadual dos Verdes na Renânia do Norte-Vestfália. “Acho fundamentalmente importante engajar-se, não é necessariamente preciso ingressar num partido”. Para ele, trabalhar para os Verdes é o caminho certo, afirma. Acima de tudo, ele “gosta de ver que suas próprias ações têm uma influência na forma como nosso mundo se desenvolve”.

 


https://www.deutschland.de/en/2021-bundestag-elections

Mais sobre o sistema partidário alemão em nosso especial das eleições para o Parlamento Federal.
 

© www.deutschland.de

You would like to receive regular information about Germany? Subscribe here: