“A alegria das pessoas 
compensa as dificuldades”

Felix Neuhaus foi, ele próprio, atingido pelo terremoto no Nepal. Apesar disto, o funcionário da AWO International iniciou, pouco depois, uma ação de ajuda de emergência.

Primeiro, choveu poeira e reboco. Então, uma enorme fenda surgiu nas paredes da nossa casa e tudo começou a balançar. Era um sábado, em abril de 2015, quando um violento terremoto abalou o Nepal. Rapidamente, corri com minha família para o jardim. Na época, eu era o chefe do escritório regional da Arbeiterwohlfahrt (AWO) International no Nepal. Como organização de bem-estar social, a AWO International engaja-se na cooperação para o desenvolvimento e na ajuda humanitária. Depois que me recuperei do susto inicial, eu telefonei para a central em Berlim. Em poucas horas, nós iniciamos, juntamente com os colegas da aliança Aktion Deutschland Hilft, uma primeira ação de ajuda de emergência. A AWO tem uma excelente rede de contatos no Nepal. Isto decorre do fato de termos lá um escritório próprio. Conhecemos inteiramente as estruturas e cooperamos com muitos parceiros nacionais. Juntos, abastecemos as vitimas com artigos de emergência, nos dias e semanas seguintes. No todo, a AWO ajudou a 50 000 vítimas do terremoto no Nepal e acolheu 1300 famílias em alojamentos provisórios. Nossos funcionários e assistentes estiveram diariamente em ação, durante muitas semanas. A alegria das pessoas sobre a nossa ajuda compensa as dificuldades. Alguns meses depois do terremoto ainda temos muito o que fazer. Muitas vítimas do terremoto fugiram para outros países, para recomeçar a vida. Mas tiveram de enfrentar enormes riscos: muitas pessoas em fuga foram sequestradas ou tiveram de trabalhar sob condições desumanas. Em muitos dos nossos projetos, nós lutamos mundialmente por melhores condições de trabalho e pela proteção contra o tráfico humano”. ▪