“HOPES pode tornar-se um modelo”

Aconselhamento, cursos de idiomas, bolsas: instrumentos para os refugiados no Oriente Médio conseguirem acesso ao ensino.

Mais de cinco milhões de pessoas fugiram, nos últimos cinco anos, da Síria, um país em guerra civil. A maior parte tem menos de 35 anos de idade. Enquanto antes do início da guerra, um em cada cinco sírios, na faixa de idade de 18 a 24 anos, estudava em faculdade, esta porcentagem caiu agora para 5%. Lançado em abril de 2016, o programa HOPES (“Higher and Further Education Opportunities and Perspectives for Syrians”) visa possibilitar o acesso ao ensino nos países vizinhos – Jordânia, Líbano, Iraque, Turquia e Egito – aos refugiados em condições de estudo universitário.

O Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico (DAAD) dirige 
o projeto com seus parceiros British Council, Campus France e EP-Nuffic, da Holanda. Muitos milhares de sírias e sírios devem beneficiar-se das ofertas de aconselhamento e cursos de idiomas, além de 300 bolsas integrais. Até 2019, o fundo fiduciário da UE para a Síria (batizado de Fundo Madad) disponibilizará 12 milhões de euros. “O HOPES pode contribuir para a reconstrução da Síria e aumentar a aceitação dos refugiados nos países da região”, diz o diretor do programa, Carsten Walbiner, do DAAD.

www.daad.de/der-daad/fluechtlinge