Fundadora com espírito de grupo

Muitas associações esportivas da Alemanha se encontram diante de grandes dificuldades. Como uma emergente social mantém em funcionamento o esporte amplo.

As associações esportivas só funcionam com a ajuda de voluntários.
As associações esportivas só funcionam com a ajuda de voluntários. Shaiith/Fotolia

Alemanha. Quase 27,5 milhões de pessoas na Alemanha – cerca de um terço da população – são sócios de uma associação esportiva. Muita coisa tem de ser organizada nessas associações: as finanças, o funcionamento de treinos, o equipamento, etc. Para tudo isso não existe um pessoal contratado. Essas tarefas são assumidas por Ehrenamtliche (voluntários). Anke Kochenburger, jurista, sabe da preocupação das associações e já encontrou soluções.

Anke Kochenburger, fundadora de Verein+
Anke Kochenburger, fundadora de Verein+ Eric Remann

O problema de muitas associações esportivas

“Um terço das associações na Alemanha tem problemas financeiros”, diz Kochenburger, que vem de uma família apaixonada pelo esporte. “Cresci em uma associação esportiva”. Há alguns anos, quando procurava uma outra orientação profissional, ela sabia que ia ser o esporte. Kochenburger estudou Administração Esportiva, tornando-se gerente de uma grande associação. Lá, ela também ficou sabendo das dificuldades dos clubes. “Existem cada vez mais tarefas, como no setor de TI, de captação de investimentos ou ‘fundraising’ e de administração voluntária. Ao mesmo tempo, está faltando cada vez mais dinheiro para os patrocinadores das associações, que são sobretudo as cidades e os municípios”.  

Um terço das associações na Alemanha tem problemas financeiros

Anke Kochenburger, fundadora de Verein+

A ideia

Kochenburger fundou um escritório de assessoramento e serviço para associações, a Verein+. “Eu pergunto: Qual é a situação da associação? Como se pode aliviar a diretoria?” Juntos, ela e os responsáveis analisam como se podem resolver as tarefas de maneira mais eficiente, ou se elas podem ser assumidas por outros, como, por exemplo, pela Verein+. Além disso, Kochenburger organiza uma compra conjunta de artigos para várias associações. “”Quem compra 1 000 bolinhas de tênis de mesa, em vez de 100, tem um desconto maior”.

O caminho

Kochenburger apresentou sua ideia em um “Pitch” do Social Impact Lab de Frankfurt do Meno. Os fundadores emergentes têm cinco minutos para conseguir entusiasmar o júri pelo seu motivo.  A condição para tanto é que a proposta de negócio ofereça uma solução para um problema social. Kochenburger conseguiu convencer o júri e foi incluída no programa de promoção. “Isso me ajudou muito. E, de mais, também recebi muitos impulsos de outros fundadores”. Junto com outros empresários do setor esportivo, ela fundou a associação sport support NOW que promove o intercâmbio, contribuindo para que as associações estejam bem preparadas para as transformações sociais, que estão sendo afetadas pela falta de novos esportistas e voluntários.

Verein+

Social Impact Lab

© www.deutschland.de