Festival de “heavy metal” em Wacken

No festival Wacken Open Air, em Schleswig-Holstein, mundos distintos se entrechocam todos os anos – isto faz o seu charme.

mc_the_snapshot/Flickr - Wacken Open Air
mc_the_snapshot/Flickr - Wacken Open Air mc_the_snapshot/Flickr - Wacken Open Air

Eles não poderiam ser mais diferentes: de um lado está Wacken, um vilarejo com menos de 2.000 habitantes na zona rural de Schleswig-Holstein. A paisagem é dominada por bosques e lagos. E do outro lado estão cerca de 75.000 fãs, sobretudo jovens, da agitada música “heavy metal”, que se dirigem para lá novamente no primeiro fim de semana de agosto. Há 25 anos os dois mundos se entrechocam em Wacken – porém, o charme do festival decorre exatamente do fato de que os habitantes do vilarejo e os fãs da música acertaram entretanto uma coexistência especial.

Isto é mostrado de maneira bonita pela cineasta sul-coreana Sung-Hyung Cho, que vive na Alemanha, no seu documentário “Full Metal Village”. Nele, a banda de música local e os músicos de “heavy metal” tocam juntos. O filme foi agraciado com diversos prêmios e contribuiu decisivamente para que Wacken se tornasse um nome conhecido pelas pessoas em toda a Alemanha – mesmo por aqueles que estranham o “heavy metal”.

Comercialização perfeita, até mesmo cruzeiros com “heavy metal”

Além disto, o nome é sinônimo de uma extremamente bem-sucedida promoção de festival. O número de espectadores cresceu claramente nos anos passados, os ingressos para 2015 esgotaram-se em doze horas. Cerca de um terço dos espectadores e a maioria das bandas vêm do exterior. E isto é apenas o cerne de tudo. Os organizadores promovem pequenas versões do festival em outros lugares, há uma marca própria de cerveja, a “Wacken Premium Pils”, e uma grande variedade de produtos comercializados com a logomarca “W:O:A”. Desde 2013, também se pode reservar viagens marítimas com os promotores, as “Full Metal Cruises”: cruzeiros para veranistas com gosto pelo “heavy metal”.

 “Wacken” é aparentemente uma grandeza inalterável no setor alemão dos festivais. Ele é amplo e a oferta é variada, mas nem todos os encontros têm tal continuidade como aquele em Schleswig-Holstein. Exatamente os pequenos festivais têm de lutar pela sua subsistência. E também para os grandes festivais, nem sempre corre tudo bem. Um outro festival tradicional, o “Rock am Ring”, teve de buscar um outro local no seu 30º ano de existência: em 2015, o evento de vários dias de duração foi realizado pela primeira vez no antigo aeroporto da Força Aérea alemã em Mendig, na Renânia-Palatinado. Desavenças entre os promotores do festival e o operador do Nürburgring, onde se realizava antes o evento, tornaram necessária a mudança. Aos espectadores, parece que isto não importou: mais de 90.000 compareceram – um recorde.

Wacken Open Air de 30 de julho até 1º de agosto de 2015

www.wacken.com

© www.deutschland.de