“Com moderação”

Degustar a cerveja – mas corretamente! O que Frank Lucas, campeão alemão dos sommeliers de cerveja, aconselha para a Oktoberfest. 

Sommelier de cerveja Frank Lukas
Sommelier de cerveja Frank Lukas Christian Rödel

Sr. Lucas, o senhor é o atual campeão alemão dos sommeliers de cerveja. A designação sommelier está ligada geralmente com o vinho. O que faz um sommelier de cerveja?

Um sommelier de cerveja transmite conhecimento sobre cerveja e a cultura da cerveja. Ela ou ele é o elo entre o produtor e o consumidor, fazendo vivenciar a variedade cervejeira em todas as suas facetas.

E como é possível tornar-se sommelier de cerveja?

Desde 2004, a Academia Doemens oferece a formação de sommelier de cerveja num curso intensivo, em cooperação com a Bierkulturhaus da Áustria.

A designação relativamente nova de sommelier de cerveja é uma tentativa de sair do segundo plano, à sombra do vinho.

Como mestre cervejeiro, eu não vejo aí nenhuma sombra. Ambos são maravilhosos gêneros alimentícios de grande tradição e fortemente consolidados na nossa cultura. Mas é verdade: quando se compara a percepção e a valorização, nós podemos aprender com os colegas do vinho. Pois a diversidade e o potencial da cerveja existem e têm, no mínimo, o mesmo valor do vinho. Há apenas que aproveitar todas as nuanças. Todas as oportunidades de degustação, da festa no jardim até à fina gastronomia, do estádio de futebol à recepção de gala podem ser servidas com cerveja.

Como sommelier de cerveja, o que o senhor aconselha aos visitantes da Oktoberfest?

Beber com moderação. Em todos os sentidos. Naturalmente, deve-se beber cerveja, quando se tem vontade. Mas aqui, o copo é tradicionalmente de um litro. Não é nenhum desempenho digno de admiração, poder beber a maior quantidade possível de cerveja. No mais, tudo vai bem lá, também com as comidas. E mesmo quando for apenas uma Bretzel salgada. Isso ajuda a evitar distúrbios eletrolíticos.

Não se deve pôr tudo o que é concebível na cuba do mosto. Em certa altura, vira deboche

Sommelier de cerveja Frank Lucas

No 500º aniversário da cerveja, surgiu uma nova discussão sobre o Mandamento de Pureza, sobretudo através dos fabricantes de craft beer. O que faz parte da cerveja e o que não?

Isso deve ser visto de maneira relativamente descontraída. A legislação garante que só sejam fabricados produtos inócuos para a saúde. Contudo, no fim é a própria honestidade do cervejeiro que decide quais os ingredientes naturais são incluídos na cerveja. Temperos tradicionais de cerveja podem ser enriquecedores e de estilo marcante. Mas não se deve pôr tudo o que é concebível na cuba do mosto. Em certa altura, vira deboche. Isso, porém, é regulado também pela aceitação no mercado.

O senhor trabalha numa pequena cervejaria. O que o senhor faz lá? E qual é a sua cerveja predileta?

Eu sou gerente de produção na cervejaria Insel Brauerei, na ilha de Rügen. Eu não tenho uma cerveja predileta. Mas depois de terminar o expediente, tomo frequentemente uma “Baltic Ale” da nossa produção. Bebida leve e, apesar disso, uma cerveja sutilmente misteriosa.

Entrevista: Martin Orth

© www.deutschland.de