Quem será “Lesefuchs 2017”?

Discutir criticamente sobre livros em alemão como língua estrangeira. O que motiva os jovens participantes da disputa “Lesefüchse”.

Lesefüchse
Zentralstelle für das Auslandsschulwesen

Estes conseguiram chegar à etapa final. São 14 jovens da Europa Central e Oriental que virão a Berlim em 14 de setembro para participar da final da competição de leitura e debate “Lesefüchse International”. Estes estudantes entre 15 e 18 anos discutem em alemão sobre os livros juvenis “Like Me”, de Thomas Feibel, “Zeit der grossen Worte”, de Herbert Günther, “Echt”, de Christoph Scheuring, e “Brennendes Wasser”, de Lukas Erler. Um júri e o público escolherão o “Internationaler Lesefuchs 2017”.

“Descobrir novos horizontes”

“Creio que a literatura nos ajuda a descobrir novos horizontes e mundos emocionantes e a se reencontrar nas histórias”, diz Aselia Orozova, do Quirguistão. Dalia Karpauskaitė, da Lituânia, acha que a leitura é mais linda, “não para contestar ou acreditar em toda palavra, mas para refletir e discutir com outros”.

Esse projeto deve motivar os jovens a pensar criticamente sobre aquilo que eles leem, expressando seu próprio ponto de vista em discussões. “Uma nova língua sempre é uma porta para um novo mundo, principalmente para as pessoas que vivem nesse novo mundo”, diz Sigmar Gabriel, ministro federal das Relações Externas e patrocinador da competição, aos participantes.

Aprender alemão nas escolas PASC

A Agência Central para Escolas Alemãs no Estrangeiro (ZfA) organiza essa competição em cooperação com o Festival Internacional de Literatura de Berlim, que está acontecendo até o dia 16 de setembro. Os estudantes que participam dele vêm da Bulgária, Romênia, Geórgia, Mongólia, Rússia, Bielorrússia, Letônia, Lituânia e Estônia.  Eles aprendem em escolas com diplomas em língua, que são assessoradas pela ZfA e que pertencem à rede da iniciativa “Escolas – Parceiras do Futuro” (PSACH).

Competição “Lesefüchse International”

© www.deutschland.de