Escolas Alemãs Internacionais – uma entrevista

As Escolas Alemãs Internacionais têm sucesso em todos os continentes. A Confederação Mundial das Escolas Alemãs Internacionais representa as instituições escolares de interesse público.

D.Enters  - Deutsche Auslandsschulen/Detlef Ernst
D.Enters - Deutsche Auslandsschulen/Detlef Ernst D.Enters - Deutsche Auslandsschulen/Detlef Ernst

Senhor Ernst, por que as Escolas Alemãs Internacionais são consideradas exemplos excepcionais de “Public-Private-Partnership”?

Elas têm uma longa tradição. Desde 1880, as Escolas Alemãs Internacionais estão em mãos particulares, sendo promovidas pelo setor público. Esta estreita cooperação entre escolas particulares e os governos estaduais e federal garante uma qualidade boa e permanente. Baseadas em suas estruturas de interesse público e não comerciais, as Escolas Alemãs Internacionais promovem elites na educação e não elites na economia. Muitas delas custam menos da metade do que outras escolas internacionais. Ao mesmo tempo, elas dão respostas aos desafios da nossa era, ou seja, à mobilidade, à migração e à integração. Isto também é um exemplo para as escolas na Alemanha.

 

Quem são essas associações?

Em geral são associações escolares de utilidade pública fundadas por pais de alunos. Muitos pais e mães que lá trabalham voluntariamente são CEOs de filiais de grandes grupos empresariais ou empresas autônomas, pessoas com muito know-how. As associações voluntárias geram cerca de 70% do orçamento escolar, o que significa anualmente cerca de 430 milhões de contribuições de associados e de taxas escolares. A estas se acrescenta a atuação dos Estados federados, responsáveis pela qualidade das aulas e pela concessão das conclusões escolares. Mais a ajuda da Federação. O Ministério Federal das Relações Externas é responsável pela promoção financeira e pelo pessoal.

 

Há também empresas que são associações escolares?

Há agora uma cidade na Hungria, na qual a Audi tem uma participação direta de 25% em uma escola, o que é, nesta forma, uma coisa até agora única. Essa fabricante de automóveis instalou lá uma nova fábrica e precisa da oferta da escola.

 

Que papel desempenharão as Escolas Alemãs Internacionais no futuro?

Um papel cada vez maior. Já desde Willy Brandt, a política de cultura e educação se tornou o terceiro pilar da política externa alemã. As Escolas Internacionais são representantes da cultura e da língua, transmitindo os valores que a Alemanha defende: democracia, liberdade de opinião, engajamento voluntário, igualdade de chances e orientação para o resultado. Elas despertam, no estrangeiro, o interesse dos jovens pela Alemanha, promovendo contatos que frequentemente duram a vida toda. É o que mostra o movimento “Alumni”. As escolas criam as condições para que as pessoas no mundo se interessem por nós e para que também possamos superar os desafios futuros, como a falta de pessoal especializado. A estrutura de boas-vindas da Alemanha começa nas Escolas alemãs Internacionais.

 

www.auslandsschulnetz.de

www.auslandsschulwesen.de

 

© www.deutschland.de