O “Indonesia LAB”

Dado que a Indonésia é convidada de honra da Feira do Livro de Frankfurt em 2015, os artistas alemães e indonésios reuniram-se em um grupo, o chamado “Indonesia LAB”.

Mousonturm.de/PandjiVascodagama - Indonesia LAB

Os movimentos dos sete jovens são fluentes, muito expressivos. Quando eles dançam aos sons de música eletrônica e hipnotizante, eles levam os espectadores a um mundo todo exclusivo. Suas representações não precisam de figurinos espetaculares nem de cenários extravagantes.  Usando bermudas no palco meio escuro, os sete jovens de Jailolo – uma região nos confins da ilha indonésia de Halmahera – imitam os movimentos de cardumes de peixes, chamando a atenção para a sua pátria ameaçada pela depredação e pela mudança do clima.

Essa peça de Eko Supriyanto leva o título de “Cry Jailolo”. Ele é, no momento, um dos mais conhecidos coreógrafos do sudeste da Ásia, tendo já trabalhado com Madonna, a estrela da música pop, e com Peter Sellars, diretor de teatro norte-americano. Supriyanto participa, com sua peça “Cry Jailolo”, do “Indonesia LAB”, juntamente com inúmeros outros artistas, compositores, músicos e dançarinos. Esse projeto cultural da Alemanha e da Indonésia foi iniciado no verão europeu de 2014 pelos seis parceiros do “Frankfurt LAB” (o Ensemble Modern, a casa de cultura Mousonturm, a escola de artes Städelschule com o Portikus, a Hessische Theaterakademie, a escola superior de artes Hochschule für Musik und Darstellende Kunst e a Forsythe Company), pelo Instituto Goethe da Indonésia e pela fundação KfW Stiftung.

Festival em Frankfurt e Jacarta

O enfoque do “Indonesia LAB” concentra-se nesta quarta maior nação do mundo, com seus 240 milhões de habitantes, e no seu cenário artístico inovador e permanentemente em mutação. Esse cenário sempre esteve sob a influência do pluralismo social e cultural desse país, produzindo constantemente novas formas de expressão cultural. O “Indonesia LAB” reúne artistas talentosos da Indonésia e da Alemanha, desenvolvendo novos campos de visão da interação entre arte e sociedade no contexto internacional. Inúmeros artistas participam desse LAB, como o pintor Ade Darmawan, cuja exposição “Magic Centre” se ocupa com o desenvolvimento da sociedade urbana, ou o grupo de artistas “Ruang Suara”, que, junto com o “Ensemble Modern”, apresenta música atual da Indonésia. O festival de encerramento do “Indonesia LAB” acontecerá simultaneamente em Frankfurt e Jacarta, no outono europeu, ou seja, em Frankfurt durante a Feira do Livro e em Jacarta por ocasião da “Deutsche Saison”, a Temporada Alemã.

www.mousonturm.de/web/de/projekte/indonesia-lab

www.kulturstiftung-des-bundes.de/cms/de/projekte/buehne_und_bewegung/indonesia_lab.html

© www.deutschland.de