Atuais, audaciosos e coloridos

Apresentamos a vocês três formatos alemães de mídia que são atuais, audaciosos e coloridos e que estão reformando o jornalismo.

 Benjamin Friedrich fundou o magazine Katapult.
Benjamin Friedrich fundou o magazine Katapult. picture alliance/dpa/dpa-Zentralbild

Katapult

Benjamin Fredrich não tinha dinheiro e nenhuma formação em jornalismo, quando, em 2015, com 27 anos de idade e estudante de Ciências Políticas, fundou o magazine Katapult. Esta revista reproduz, em suas edições trimestrais de cerca de 100 páginas, estatísticas e estudos sociais elaborados em gráficos coloridos, acompanhados por artigos interessantíssimos. Nestas contribuições, os jornalistas relatam sem papas na língua, correspondendo ao atual estado de espírito. Neste meio tempo, Katapult é o magazine de maior crescimento de assinaturas na Alemanha.

Ao contrário de muitas outras  empresas de mídia, Katapult não emprega meios digitais para o processamento de seus produtos. “Produtos impressos desaceleram e quando vocês leem todas suas assinaturas digitais, nós ficamos felizes em ser o único magazine impresso em seus lares”, diz a redação da revista.   

Aqui, o canal Instagram

Y-Kollektiv

O Y-Kollektiv vê aquilo que os outros não querem ver, pois posta em YouTube e Facebook interessantes reportagens de todo o mundo. Para tanto, jovens jornalistas acompanham os chefes militares na África Central, visitam Techno-Raves ilegais na Alemanha ou presenciam resgates dramáticos de refugiados no Mar Mediterrâneo.

Esta rede social faz suas investigações apostando em histórias subjetivas de pessoas e sobre pessoas. Os repórteres mostram o mundo como o vivem no momento. Suas reportagens “provocam e dividem, incitando e chocando. Elas nem sempre são objetivas, mas são sempre honestas”, diz Kollektiv.

Para esses autores de mídia, a transparência é muito importante. Se uma história não tiver sido suficientemente investigada, Y-Kollektiv assume a responsabilidade. Os canais são providos pela rede de difusão do direito público Online-Content-Netzwerk.

Aqui, o canal YouTube

@ichbinsophiescholl

O que Sophie Scholl viveu nos últimos meses antes da sua morte? Os nossos usuários podem ficar sabendo disso no Instagram. Comemorando o 100º aniversário de Sophie Scholl, em 9 de maio de 2021, as emissoras de direito público SWR e BR reavivam essa história, usando o seu projeto @ichbinsophiesholl para  transportar as suas comunidades ao ano de 1942.

A artista Luna Wendler transporta  Sophie Scholl dos livros de história ao mundo da mídia social. Os usuários do Instagram revivem assim, em réplica de tempo real, um resumo da vida daquela mulher que lutou contra o nazismo.

Aqui, o canal Instagram

© www.deutschland.de

You would like to receive regular information about Germany? Subscribe here: