“O fim de uma era”

O politicólogo Franco Delle Donne fala no seu blog sobre a política alemã, sobre as diferenças culturais entre Alemanha e Argentina e sobre as eleições europeias de 2019.

Franco Delle Donne
O politicólogo argentino Franco Delle Donne privat

Senhor Delle Donne, como o senhor teve a ideia de criar um blog em espanhol para escrever sobre a situação política da Alemanha?

Tudo começou em 2013, por ocasião das eleições ao Parlamento Alemão. Criei um blog sobre a comunicação política na campanha eleitoral. No começo, a minha intenção era um blog só para a família e os amigos na Argentina. Depois, o blog chamou a atenção de muitas mídias em países de língua espanhola, que então se comunicaram comigo. Passo a passo, o enfoque do blog, que era a comunicação política, passou a ser a análise política.

A favor da nova geração e com vistas aos problemas atuais, temos de mudar nossa mentalidade sobre a Europa e nos comunicarmos de outra maneira.

Franco Delle Donne, politicólogo da Argentina

Qual é a grande diferença entre a cultura política da Alemanha e a da Argentina? 

Na Alemanha existe um grande desejo de estabilidade. Ele se reflete no sistema. Em comparação, o modo de pensar dos argentinos é a curto prazo, também devido à situação insegura do país. Atualmente, por exemplo, existe uma forte inflação. É difícil planejar as coisas a longo prazo, se não se sabe como a economia vai se desenvolver nos próximos meses. Por isso, as pessoas vivem um dia após o outro. Além disso, também existe um sistema de governo presidencial que não promove o diálogo. Na Alemanha, os partidos têm de se comunicar, para poder formar coalizões.

O senhor pode fazer um prognóstico sobre as eleições europeias, com respeito à Alemanha?

As eleições europeias sempre foram um meio de dar uma lição no governo. Muitas pessoas votam em outros partidos ou em partidos pequenos. Desta vez, as pesquisas de opinião dizem que o partido ambiental Aliança 90/Os Verdes e o partido populista de direita AfD vão receber muito mais votos em comparação com as eleições de 2014. Provavelmente, os populistas de direita de outros países também vão se tornar mais fortes. Muitos prognósticos já indicam que haverá uma grande coligação desse espectro. Não sei se seria possível uma cooperação desses partidos. Creio que este é o fim de uma era. Os pró-europeus têm realmente de se reformar. A favor da nova geração e com vistas aos problemas atuais, temos de mudar nossa mentalidade sobre a Europa e nos comunicarmos de outra maneira. Espero que possamos conseguir isso depois das eleições.

Quando mudamos para Berlim, eu sabia que tudo iria mudar, tanto a língua, como a cultura e o clima.

Franco Delle Donne, politicólogo da Argentina

O senhor mora na Alemanha desde 2010. Foi uma grande mudança para o senhor vir para cá?

Sim, claro! Minha esposa é alemã. Tínhamos vivido primeiramente na Argentina, depois em Madri e em seguida em Berlim. Quando mudei da Argentina para a Espanha, pensei que seria a mesma coisa. Mas não foi nada disso. Mas quando quisermos mudar para Berlim, já sabia que tudo seria completamente diferente, desde a língua e a cultura, até o clima. A mudança para Berlim foi mais fácil para mim, pois não tinha esperado que seria fácil. Além disso, Berlim é muito aberta para novas pessoas. Hoje, vivemos com nossos filhos em uma pequena cidade na Baviera. Sendo uma criança da cidade grande, estava preocupado que aqui seria muito apertado para mim. Mas foi o contrário. Viver na Baviera é para mim muito mais fácil: de vagar, mas com mais conforto.

Quais são seus próximos projetos?

Existem neste ano dois projetos importantes. Estou escrevendo, com Andreu Jerez, com o qual publiquei em 2017 um livro sobre o partido da AfD, um livro sobre os partidos e os movimentos de direita em toda a Europa. Conseguimos ganhar quinze jornalistas e politicólogos. Cada um deles escreve um capítulo sobre um país. Isso ajudará as pessoas que vivem em países de língua espanhola a compreender o que está acontecendo com esta política aqui. Esse livro será publicado em maio, antes das eleições europeias. O segundo projeto trata do combate aos comentários de ódio e do papel da mídia na sua divulgação.

Sobre a pessoa: Franco Delle Donne é doutor em Consultoria de Comunicação e em Politicologia e autor do blog espanhol "Elecciones en Alemania", no qual ele analisa os acontecimentos políticos na Alemanha. Em 2017, ele e Andreu Jerez pulicaram o livro “Factor AfD: El retorno de la ultraderecha a Alemania”.

Entrevista: Nicholas Czichi-Welzer

© www.deutschland.de

 

You would like to receive regular information about Germany? Subscribe here: