Os melhores romances policiais alemães

Os leitores alemães adoram romances policiais. Quais dos livros da nova avalanche de novas publicações são realmente dignos de ser lidos? Cinco dicas quentes.

Paulista/Fotolia - Literatur

Alemanha. O ponto de encontro de fãs de romances policiais é o festival “Criminale”, que acontece durante a primeira semana de maio em Graz, Áustria. Frank Rumpel, crítico de romances policiais, apresenta aqui cinco favoritos atuais desse gênero literário em língua alemã.

 

Max Annas: “Die Mauer”

 

 “Die Mauer”, o segundo romance de Max Annas, não se desenrola em Berlim, mas na África do Sul, onde o autor viveu durante alguns anos. O carro de um jovem negro tem uma avaria e este vai pedir ajuda em uma “Gated Community”, habitada por brancos. E logo ele se vê em meio a boatos e acusações cada vez mais graves. Ele tenta fugir, mas não encontra mais o caminho de saída. No final há mortos. Esse romance policial é narrado com muita concentração, em frases curtas, rapidamente e extremamente grotesco. É uma história sobre o racismo e a histeria, na qual Annas mostra que o isolamento não é parte da solução, mas parte do problema e isto não apenas na África do Sul.

Max Annas: Die Mauer. Rowohlt-Verlag, 223 páginas, 12 euros. E-Book: 9,99 euros.

 

Simone Buchholz: “Blaue Nacht”

Chastity Riley, protagonista de Simone Buchholz, sente-se muito bem em St. Pauli, bairro de Hamburgo. Riley, promotora que tem um estômago resistente a álcool, foi afastada do seu cargo, depois de acusar de corrupção um dos seus superiores, tendo sido obrigada a assumir a função da proteção de vítimas. Agora, ela é responsável por um homem que levou uma surra impiedosa e que não quer fazer nenhuma declaração. Mas Riley consegue arrancar dele informações sobre traficantes de droga e sobre o porto de Hamburgo, como centro de venda de drogas da Europa. Esta história policial, desenvolvida de forma entrelaçada, salpicada com a vida privada da protagonista, é o sexto romance de Riley, que Buchholz narra com exatidão, com um fundo lacônico e um sólido humor.

Simone Buchholz: Blaue Nacht. Suhrkamp, 238 páginas, 14,99 euros. E-Book: 12,99 euros.

 

Christian von Ditfurth: “Zwei Sekunden”

 

Um atentado com bomba em Berlim. A chanceler alemã é quase atingida. No seu carro está também o presidente russo. Este é o cenário de terror, com o qual começa “Zwei Sekunden”, o segundo policial de Christian von Ditfurth, que gira em torno do intransigente comissário Eugen de Bodt. Ele se dedica a temas políticos que não estão na agenda dos acontecimentos atuais. A primeira suposição que se tem é que se trata de um atentado contra Putin, mas logo se torna claro que se trata de uma coisa completamente diferente. Há mais mortos, mas os políticos mantêm segredo. Existem muitas intrigas e Bodt tem de investir muito para descobrir os motivos. Um romance policial inteligente, sólido e cheio de surpresas.

Christian von Ditfurth: Zwei Sekunden. Carl's Books, 460 páginas, 14,90 euros. E-Book: 9,99 euros.

Friedrich Ani: “Nackter Mann, der brennt”

 

Ludwig Dragomir retorna à sua aldeia natal bávara depois de muitos anos, para que todos aqueles homens, neste meio tempo já velhos, prestem conta de ter violentado um jovem. O autor muniquense Friedrich Ani deixa seu protagonista descrever calmamente e com muito cuidado uma juventude perdida e uma vida cheia de incertezas, o que se encontra muito além de todos os clichês, que sempre surpreende e que é, em parte, uma literatura sombria. Ani retrata uma vítima que relata sua história e que se transforma em um criminoso impelido por um ódio insaciável, também contra si próprio.

Friedrich Ani: Nackter Mann, der brennt. Suhrkamp-Verlag, 223 páginas, 20 euros. E-Book: 16,99 euros.

 

Merle Kröger: “Havarie”

 

“Havarie”, o romance de Merle Kröger, não é novo, mas ainda atual. Um navio de cruzeiro encontra no Mar Mediterrâneo um barco de borracha com doze refugiados da Argélia. Merle Kröger, autora e diretora de documentários, faz seus onze protagonistas se revezarem, transformando suas histórias em um policial em mar alto. Os capítulos são curtos, a narração é rápida e a contradição entre os diferentes mundos de vida é extrema.


Merle Kröger: Havarie. Argument-Verlag, 256 páginas, 15 euros. E-Book: 9,99 euros.

 

Sobre o autor: Frank Rumpel é jornalista e crítico literário. Ele escreve críticas de romances policiais para a rádio SWR2 e para crimemag.de e é membro do júri da “KrimiZeit-Bestenliste”.

 

Criminale 2017 em Graz (Áustria), de 2 a 7 de maio de 2017

 

© www.deutschland.de