Emancipação no espaço sideral

Onze homens alemães já estiveram no espaço sideral. A iniciativa “A Astronauta” pretende enviar a primeira mulher alemã ao espaço – já em 2021.

Randall candidatou-se já em 2008 a se tornar astronauta da ESA.
Randall candidatou-se já em 2008 a se tornar astronauta da ESA.

“Astronautas são os grandes astros das ciências naturais e da técnica”, afirma a astrofísica Suzanna Randall, “todas as crianças os conhecem”. Por isso é importante que haja mulheres entre eles. A própria cientista de 39 anos de idade poderá vir a ser dentro em breve um desses astros: a primeira astronauta alemã. Num complicado processo de seleção, Randall e a meteorologista Insa Thiele-Eich foram escolhidas pela iniciativa privada “A Astronauta”, para se prepararem para um voo ao espaço sideral.

50 milhões de euros para o voo à ISS

A iniciativa foi criada em 2016 pela engenheira astronáutica Claudia Kessler. Ela achava que já tinha chegado a hora para a primeira mulher alemã no espaço. O treinamento, o voo com um transporte privado para a estação espacial ISS e a estadia lá durante dez dias custam cerca de 50 milhões de euros. Se a iniciativa puder arrecadar o dinheiro, então uma das duas mulheres poderá fazer a viagem espacial em meados de 2021. No momento, está sendo negociado com investidores e empresas, afirma Randall. A iniciativa já é apoiada pela firma Airbus e pelo Centro Alemão de Navegação Aeroespacial (DLR).

As astronautas como exemplos nas profissões técnicas

Voar ao espaço sideral – isso Randall já desejava desde menina. Seu exemplo era Sally Ride, a primeira estadunidense no espaço. “Eu a descobri quando eu tinha sete ou oito anos de idade”, afirma, “e eu pensei: se ela pode, então eu também posso”. Tais exemplos as mulheres jovens necessitam ainda hoje, a fim de entusiasmar-se pelas profissões técnicas, considera Randall. “Para a Alemanha é importante que tenhamos muitos especialistas com boa formação nas tecnologias do futuro”, afirma ela, “não apenas homens, mas também mulheres”.

Randall formou-se em Astronomia e fez doutorado em Astrofísica. Ela trabalha e pesquisa no Observatório Europeu do Sul (ESO) em Munique. Nos últimos meses, contudo, ela treinou de maneira intensiva para o seu voo ao espaço: ela obteve o brevê de piloto e a licença de mergulhadora, absolveu um treinamento em ausência de gravidade e treinou para a sua pesquisa na ISS. Insa Thiele-Eich também está perfeitamente preparada. Porém, somente uma das duas voará para a ISS. Qual delas, isso só será decidido pouco antes da partida. Uma coisa é certa: não importa qual das duas será, ela será então a primeira astronauta alemã.

© www.deutschland.de

You would like to receive regular information about Germany? Subscribe here: