Os retornados

Lobos e linces estão novamente em casa na Alemanha – e também há esperança de um retorno duradouro dos alces, bisões e ursos.

Loba com filhotes na Baviera
Loba com filhotes na Baviera picture alliance / blickwinkel/H. Pieper

Lobos num campo da Saxônia: principalmente nos Estados do Leste alemão, vive há alguns anos um grande número de lobos em liberdade; segundo os levantamentos recentes, existem 105 alcateias em toda a Alemanha, além de 25 casais e 13 animais individuais. Exterminado no passado, o lobo é agora uma espécie rigorosamente protegida pela Lei Federal de Conservação da Natureza.

Wolf
picture alliance / blickwinkel/S. Meyers

Dois linces jovens num nicho de rocha na Floresta do Palatinado: desde 2016, foram estabelecidos lá 20 linces da Suíça e da Eslováquia, que geraram até agora dez filhotes. No total, vivem entretanto na Alemanha pelo menos 137 linces, a maioria deles na Baviera.

Zwei Luchsjunge
picture alliance / Alexander Sommer/Stiftung Natur und Umwelt RLP/dpa

Um alce selvagem em meio a um rebanho de vacas? Sim, alces da Polônia migraram frequentemente para o Leste da Alemanha nos últimos anos. “Bert”, que curiosamente gosta de juntar-se aos rebanhos de vacas, recebeu um transmissor, para que suas andanças possam ser acompanhadas cientificamente. Os defensores da natureza esperam um assentamento duradouro dos grandes cervídeos que, no início da Idade Média, povoavam toda a Alemanha.

Wilder Elch
picture alliance/dpa

Bisões no Parque Nacional do Vale do Baixo Oder: um pequeno rebanho está assentado lá desde 2012. No projeto transfronteiriço “ŁośBonasus” (em português: alce e bisão), organizações como o WWF e o Centro Leibniz de Pesquisa das Terras Agrárias (ZALF) acompanham o retorno natural dos bisões e alces, da Polônia para a Alemanha.

Wisente
picture alliance/dpa

Urso-pardo num parque de animais silvestres na Baixa Saxônia: livre na natureza, foi observado por último na Alemanha em 2019 um exemplar que migrou da Itália para a Baviera. Um estudo científico constatou em 2018 um hábitat potencial para ursos na Alemanha, da ordem de 16.000 quilômetros quadrados. Isso ainda é muito teórico, mas pelo menos nos Alpes alemães, os cientistas veem boas chances para um retorno duradouro dos ursos-pardos.

Braunbär
picture alliance/dpa

© www.deutschland.de

You would like to receive regular information about Germany? Subscribe here: