Modelo, empresária e “Greenfluencerin”

A brasileira Domitila Barros viajou por muitos países e vive agora em Berlim. Melhorar o mundo, ainda continua sendo o seu objetivo.

Domitila Barros
Domitila Barros privat

Quando Domitila Barros tinha 15 anos e se apresentou no grande palco mundial, diante dos representantes da ONU, para contar sobre a sua vida, a sua convicção “foi até Marte e voltou”. A UNESCO tinha escolhido essa brasileira, em 2000, para o programa “Millennium Dreamers”. Barros viajara então para Florida, reconhecendo-se naqueles outros 1 999 jovens do mundo todo, que apresentariam naquele congresso os seus pontos de vista sociais e os seus desejos para o século XXI. Foi o momento em que Barros pôde experimentar, pela primeira vez, o efeito que o ativismo global pode ter.

Evitar o uso de produtos químicos venenosos para a exploração do ouro

Vinte e um anos depois, ela, morando agora em Berlim, continua inspirando as pessoa do mundo todo, como emergente no setor de formação e como “Greenfluencerin”. Ela é consultora, empresária social, modelo e atora. Barros, agora com 36 anos, tem mais de 90 000 seguidores no Instagram. Seu desejo é tornar o mundo mais justo e mais sustentável. Há quatro anos, ela criou “She is from the jungle”, uma grife de moda e joias, que evita usar ouro, pois para a exploração deste metal são usados produtos químicos venenosos. Em vez disso, Barros aposta em uma matéria-prima sustentável, o “capim dourado”, uma planta brasileira, com a qual ela brincava quando era criança.

Mães solteiras, de uma favela de Recife, trabalham para a firma de joias e moda com sede em Berlim, que, segundo Barros, oferece a mulheres condições de trabalho justas, reconhecimento, independência e também proteção contra a violência doméstica. Ela conhece bem as difíceis condições de vida de muitas de suas empregadas. No bairro pobre “Linha do Tiro”, onde Barros morou, ela presenciou muita violência quando era criança.  Mas graças a seus pais, que também cresceram na favela e vivem lá até hoje, ela ficou conhecendo o outro lado da vida: apoio, confiança, segurança e criatividade. Roberta e Ademilson Barros lutaram por uma formação, conseguindo sair um tanto da pobreza. E transmitiram essa experiência à sua filha. Ela diz que sempre ouvia seu pai lhe dizer: “Você só vai sair da minha casa quando tiver um diploma de bacharelado”. E ela realmente concluiu os seus estudos com um diploma em Serviço Social.

Um próprio método de ensino

Quando era criança, Barros já participava do projeto CAMM, de atendimento a crianças de rua, que seus pais tinham fundado e ainda dirigem até hoje. Naquela época, três crianças vinham sempre pedir comida para Roberta Barros, que cozinhava para elas e as ajudava a fazer as tarefas escolares. Mas então vieram cada vez mais crianças para a casa da família Barros. Com 13 anos, Domitila começou a se engajar bastante no projeto CAMM, desenvolvendo até mesmo métodos baseados em dança e teatro, para que as crianças aprendessem a ler e escrever. Seus pequenos alunos e alunas adoravam essas aulas. Não demorou muito até que ela chamasse a atenção da UNESCO, recebendo então o prêmio Millennium Dreamer (Sonhadora do Milênio) pela sua atuação social.

A partir de então, Domitila Barros já alcançou muito mais. Sendo modelo, ela viajou pelo mundo, diplomando-se com um mestrado em Ciências Sociais e Políticas na Freie Universität de Berlim. No seu passado, ela sempre teria tido pessoas ao seu lado, que lhe deram apoio, coragem e conselhos. Com essas forças, ela se sentiria em casa em todos os lugares, atualmente em Berlim.

© www.deutschland.de