O futuro chanceler

O social-democrata Olaf Scholz deverá se tornar o novo chanceler da Alemanha. Apresentamos aqui o sucessor de Angela Merkel. 

Olaf Scholz
Olaf Scholz pa/dpa

O novo governo da coalizão do SPD, Verdes e FDP será chefiado pelo social-democrata Olaf Scholz como chanceler.

Olaf Scholz já era vice-chanceler no último gabinete da chanceler Angela Merkel. Agora Scholz deverá suceder a política da CDU que, após 16 anos no cargo, não se candidatou novamente à eleição do Bundestag (Parlamento Federal) em 26 de setembro de 2021. Uma visão geral das etapas importantes na carreira política de Olaf Scholz:

Engajamento precoce na política

Nascido em Osnabrück em 1958 e criado em Hamburgo, Scholz aderiu ao SPD aos 17 anos de idade. “Sempre me engajei politicamente; desde cedo me tornei porta-voz dos alunos na minha escola secundária em Hamburgo-Rahlstedt”, escreve Scholz sobre si mesmo. Ele estudou Direito e foi vice-presidente dos “Junge Sozialisten” (Jusos), a organização juvenil do SPD, de 1982 a 1988.

 

Após a eleição para prefeito-governador de Hamburgo
Após a eleição para prefeito-governador de Hamburgo pa/dpa

Entre Hamburgo e Berlim

Durante muito tempo, Scholz se deslocou entre a cidade hanseática no Norte e a capital federal. Em 1998, ele entrou no Parlamento Federal pela primeira vez, e em 2001 ele se tornou Senador do Interior em Hamburgo. De 2002 a 2004, foi secretário-geral do SPD durante o mandato do chanceler Gerhard Schröder. De 2007 a 2009, ele foi ministro federal do Trabalho, e em 2011 foi eleito como prefeito-governador de Hamburgo. Ele chefiou a cidade hanseática por sete anos. Após as eleições federais de 2017, voltou para Berlim, onde assumiu os cargos de vice-chanceler e ministro das Finanças no governo federal.

Vencedor radiante após as eleições federais de 2021
Vencedor radiante após as eleições federais de 2021 pa/dpa

O caminho para a Chancelaria Federal

Em 2019, Scholz disputou a presidência do SPD, mas numa votação interna do partido, prevaleceu a dupla Saskia Esken e Norbert Walter-Borjans. No entanto, em 2020 os social-democratas escolheram o então ministro das Finanças como seu candidato a chanceler; nenhum outro partido decidiu tão cedo sobre seu principal candidato. Nas pesquisas posteriores, as coisas não pareciam particularmente boas por muito tempo, mas na eleição de setembro de 2021, o SPD estava finalmente à frente da CDU/CSU. Em apenas algumas semanas, o SPD, os Verdes e o FDP concordaram em formar um governo de coalizão – com Scholz como chanceler.

Continuidade: Scholz e Merkel com o presidente americano Biden
Continuidade: Scholz e Merkel com o presidente americano Biden pa/dpa

Continuidade na política externa

O novo chefe de governo lidera uma coalizão que nunca existiu antes na Alemanha. A aliança quer estabelecer novas prioridades, por exemplo, na política climática. Na política externa, entretanto, Scholz sinalizou desde cedo que apoia a continuidade. Quando viajou para a reunião do G20 em Roma, em outubro de 2021, junto com a chanceler Merkel, que ainda era chanceler interina na época, ele próprio classificou isso como “sinal de continuidade”. Eles puderam conversar com os outros países e assegurar “que todos também continuem a confiar na Alemanha e em seu papel como país que contribui para que os países do mundo cooperem entre si”.

Olaf Scholz e sua esposa Britta Ernst
Olaf Scholz e sua esposa Britta Ernst pa/photothek

Casado com a ministra da Educação do SPD Britta Ernst

Scholz e sua esposa se conheceram em Hamburgo em meados dos anos 80, e se casaram em 1998. Britta Ernst é ministra da Educação no Estado federal de Brandemburgo; anteriormente, foi ministra da Educação em Schleswig-Holstein. O casal vive em Potsdam, a capital de Brandemburgo. Segundo Scholz, Britta Ernst também é responsável pelo fato de que agora ele pratica esporte regularmente: “Nos tempos da escola, eu odiava esporte; agora eu faço ‘jogging’ sempre que posso”. Entretanto, isto foi dito por ele antes da sua eleição para chanceler.

© www.deutschland.de