60 anos de relações diplomáticas com Myanmar

A este propósito, o Ministério Federal das Relações Externas mostra a exposição “Cultura e ciência: chave para o futuro”.

picture-alliance/dpa - Myanmar
picture-alliance/dpa - Myanmar picture-alliance/dpa - Myanmar

“Sabemos, como alemães reunificados, como os processos de reforma e transformação são demorados e, em parte, dolorosos”, diz Christian-Ludwig Weber-Lortsch, embaixador alemão em Myanmar. “Por isso, já demonstramos muito cedo o nosso engajamento, para que as pessoas possam ajudar a reconstrução do seu país”. Desde a abertura, em 2011, as relações políticas e o intercâmbio econômico vêm se duplicando e a cooperação cultural está aumentando bastante.

O presidente federal alemão Joachim Gauck visitou Myanmar em fevereiro de 2014, encontrando-se com o presidente estatal Thein Sein, com a líder da oposição Aung San Suu Kyi e representantes da sociedade civil. A economia alemã lá está representada com um escritório de delegados em Rangun desde novembro de 2013. A associação Ostasiatischer Verein organiza viagens de delegações a esse país. E o Instituto Goethe reabriu suas portas em Rangun em começos de 2014.

A República Federal da Alemanha fizera em 1954 um acordo sobre o estabelecimento de relações diplomáticas com a então União de Myanmar, que muito tempo foram caracterizadas por um forte engajamento de política de desenvolvimento por parte do governo alemão. Todavia, os acontecimentos políticos de agosto de 1988 e as violações dos direitos humanos em Myanmar, que culminaram com a sangrenta repressão das manifestações de massa em setembro de 2007, prejudicaram nessa época as relações entre a Alemanha e Myanmar. Agora, a parceria está novamente em primeiro plano. “Os senhores podem contar com a Alemanha”, disse o presidente Gauck durante a sua visita.  

Por ocasião do estabelecimento das relações diplomáticas há 60 anos, o Ministério Federal das Relações Externas, em Berlim, mostra a exposição “Cultura e ciência: chave para o futuro”, dedicada ao intercâmbio cultural e científico entre os dois países. Na abertura da exposição, em 3 de setembro de 2014, será entregue à delegação de Myanmar um escaneamento digital em 3D da Carta Dourada que fora enviada em 1756 pelo rei Alaungphaya, da então Birmânia, a Jorge II, na época regente em união do Principado de Hanôver e Inglaterra. A carta original é acervo da Biblioteca Gottfried Wilhelm Leibniz de Hanôver.

Estabelecimento das relações diplomáticas entre a República Federal da Alemanha e a União de Myanmar em 1954

www.auswaertiges-amt.de

www.rangun.diplo.de

© www.deutschland.de