Ajudar a fazer a paz

Quando dois brigam, o terceiro ajuda. Como a Alemanha emprega o seu forte na mediação da paz.

Mediação da paz. Trata-se muitas vezes de progredir em pequenos passos.
Mediação da paz. Trata-se muitas vezes de progredir em pequenos passos. United Nations/Eric Kanalstein

As atividades de mediação da paz são um novo instrumento da política externa alemã, o qual está se tornando cada vez mais importante. Essas missões são explicadas por Christina Horváth-Stenner, agente de apoio à mediação do Centro de Prevenção de Crises da Organização para Segurança e Cooperação na Europa (OSCE). Esta alemã pertence ao grupo de peritos do Centro de Missões Internacionais de Paz (ZIF).

Dra. Christina Horváth-Stenner, agente de apoio à mediação na OSCE
Dra. Christina Horváth-Stenner, agente de apoio à mediação na OSCE privat

Senhora Horváth-Stenner, o que é uma mediação da paz?

É uma alternativa às negociações no âmbito diplomático. É um processo estruturado para a solução de conflitos, com o apoio de um terceiro imparcial. O decisivo é que os partidos em conflito aceitem esse processo e se responsabilizem pela solução do conflito.

Como ocorre a mediação da paz na prática?

Um exemplo são os chamados diálogos 5+2 para a solução do crescente conflito de Transnístria, uma parte da República da Moldávia. Esse conflito já começara na década de 1990. Em 2016, o alemão Cord Meier-Klodt, na época o enviado especial da OSCE, e seu grupo conseguiram que os partidos em conflito se reunissem novamente em volta de uma mesa – depois de uma longa pausa de inatividade –, concordando em discutir sobre oito temas que deveriam facilitar o dia a dia da população.  Um exemplo foi o reconhecimento de diplomas universitários de Transnístria. Frequentemente são as formalidades burocráticas que têm de ser negociadas em pequenos e difíceis passos. Mas, no final das contas, o importante é  que as pessoas querem ter uma identidade e um pertencimento.

Sendo um país tão influente, a Alemanha é surpreendentemente discreta. Isso gera confiança.

Christina Horváth-Stenner, agente de apoio à mediação na OSCE

Quais são os fortes da Alemanha na mediação da paz?

A nível internacional, a Alemanha tem uma boa reputação, sendo considerada uma parceira confiante e profissional. A razão disto é que ela age discretamente no palco internacional. Sendo um país tão influente, a Alemanha é surpreendentemente discreta nesse particular. Isso gera confiança. As operações militares da Alemanha são acompanhadas por uma posição crítica deste país, gerada pelas suas próprias experiências históricas. Os seus fortes políticos e econômicos são uma vantagem, mas podem também ser passíveis de críticas.

O que a senhora quer dizer com isso?

É necessário que haja uma mudança confiável de paradigma para a mediação da paz. Enquanto a diplomacia sempre enfoca o próprio interesse de um país, a mediação trata principalmente dos interesses dos partidos em conflito. 

Entrevista: Tanja Zech

© www.deutschland.de

Newsletter #UpdateGermany: You would like to receive regular information about Germany? Subscribe here to: