Solucionando conflitos

Eles são intermediários, observadores eleitorais ou cooperadores. Como os profissionais civis contribuem para o sucesso das missões de paz. 

Protegendo a população civil: missões da ONU no sul do Sudão (UNMISS)
Protegendo a população civil: missões da ONU no sul do Sudão (UNMISS) UN Photo/Martine Perret

Alemanha. O Centro de Missões Internacionais da Paz (ZIF) da Alemanha é um modelo inovador da mobilização de pessoas civis em conflitos internacionais. Wanda Hummel, porta-voz do ZIF, sobre as tarefas e os objetivos dos peritos civis em missões de paz.

Quais são os pontos centrais do ZIF?

O ZIF é uma organização de envio de pessoal e um centro de competência para as missões de paz. Ele oferece gestão pessoal, treinamento, consultoria e análises políticas sob um só teto. O ponto central do seu trabalho é o envio de profissionais civis para as missões da UE, da OSCE, da ONU e da OTAN. Nós cuidamos da preparação, seleção e assistência dos peritos e das peritas. Além disso, assumimos o papel de interlocutores e acompanhantes dos observadores alemães de eleições a encargo da OSCE e da UE.

Por que é importante não somente apoiar militarmente as missões internacionais de paz, mas também enviar profissionais civis?

A ajuda militar é importante para atenuar os conflitos, para que a segurança seja estabelecida. Mas, frequentemente, os conflitos continuam existindo em forma de tensões políticas, limitações sociais, uma economia inativa e estruturas estatais que quase não funcionam. Conseguir a paz significa não apenas conseguir uma trégua, mas soluções de conflitos. Para tanto, é necessário que se negocie com todos os partidos em conflito sobre a participação política, introduzindo processos de reconciliação e restaurando a capacidade de ação da administração e da justiça. Por isso, a maioria das missões de paz são multidimensionais, onde os militares, a polícia e o pessoal civil trabalham juntos para o processo de paz.

Além disso, muitos profissionais civis podem evitar novos conflitos, pois acompanham de perto os processos sociais, instruem o pessoal, ajudam os ex-combatentes a se integrar novamente na vida civil e promovem o trabalho parlamentar.

A fase de trégua pode continuar? A UE em missão de monitoramento na Geórgia
A fase de trégua pode continuar? A UE em missão de monitoramento na Geórgia ZIF/ Speidel

Em quantos países a Alemanha está atualmente atuando em missões de paz através do ZIF?

O grupo de profissionais do ZIF é composto por 1 500 pessoas. Cerca de 200 delas estão atualmente atuando em missões de paz da ONU, da UE, da OSCE ou da OTAN. Existem missões de paz em 50 países, desde um pequeno escritório de ajuda parlamentar até uma grande operação com quase 20 000 capacetes azuis na República Democrática do Congo.

Mapa mundial de missões de paz 2017/2018 (PDF)

O que distingue essas pessoas que se engajam nas missões de paz?

Na maioria, elas são especialistas que possuem experiências culturais e que querem agir internacionalmente, sejam como juízes, peritos em logística, em finanças ou em análises políticas. Elas estão dispostas a viver e trabalhar sob condições difíceis, sabendo que seu trabalho é perigoso, mas que, em pequenos passos, pode contribuir para mudanças. Muitas dessas pessoas são idealistas que querem contribuir para um mundo mais justo e mais pacífico.

Este é um projeto único no mundo?

O ZIF foi fundado em 2002 pelo governo federal alemão e pelo Parlamento Alemão, como um projeto-modelo, pois reunia no mundo todo, pela primeira vez e sob um só teto, todas as áreas de expertise sobre missões de paz . Neste meio tempo, já existem institutos parceiros em países como a Suécia ou a Finlândia. 

Entrevista: Tanja Zech

© www.deutschland.de