“Calorosos e atenciosos”

Vida na Alemanha: Anand e Supriya, da Índia, falan de suas experiências com o país e seu povo.

Anand Shingi e Supriya Bhandari vivem nos subúrbios de Frankfurt.
Anand Shingi e Supriya Bhandari vivem nos subúrbios de Frankfurt. privat

Você está interessado em viver e trabalhar na Alemanha? Conversamos com expatriados, aqui eles compartilham suas histórias e experiências com você.

Anand Shingi, 34 anos, Supriya Bhandari, 33, da Índia

Venho de Pune, no estado de Maharashtra, na Índia ocidental. Lá, eu já trabalhava no Deutsche Bank. Há quatro anos, quando surgiu a oportunidade de ficar na Alemanha por um período mais longo, eu não hesitei. Eu já estava aqui há seis meses e sabia o que esperar. No banco, trabalho no Departamento Financeiro como Vice-presidente Assistente. No mundo financeiro internacional, é bastante fácil mudar para outro país porque todos falam inglês, de qualquer forma. Obter uma permissão de trabalho e os documentos necessários foi fácil, pois uma organização fez isso por mim. Mas, como se tem de preencher muitas páginas em alemão, é muito difícil sem conhecimento da língua e ajuda.

Para minha esposa Supriya, foi muito mais difícil encontrar um emprego. Ela teve que aprender alemão por dois anos, até o certificado B2. Agora ela trabalha como consultora administrativa numa empresa internacional aqui na Alemanha.

Gostei de vir para Frankfurt do Meno porque é a capital financeira da Alemanha e da Europa. Além disso, podemos facilmente viajar pela Europa a partir daqui. Nos disseram que a Alemanha é muito diferente da Índia. Os indianos, por exemplo, têm um contato muito próximo com suas famílias e amigos. Mas descobri que, na sua maioria, os alemães são muito calorosos e atenciosos.

Somos veganos, por isso ainda não encontramos muitos bons restaurantes. Às vezes você pede um prato vegano, por exemplo, e ele vem com ovo. Mas em cidades internacionais como Frankfurt e Munique, há muitos grandes supermercados indianos e asiáticos onde podemos conseguir tudo o que precisamos.

O que eu gosto é que há muito menos poluição atmosférica e que o transporte público não está tão lotado. Mas, comparativamente, pouca coisa funciona digitalmente nas repartições; em geral, você tem de comparecer pessoalmente. É difícil obter uma autorização de residência permanente. Mas agora eu pude fazer meu requerimento. Você tem de fazer o teste de naturalização, o que eu não acho ruim. Mas as próximas datas disponíveis para isso são só daqui a seis meses. Um pouco menos de burocracia certamente ajudaria a trazer ainda mais talentos de topo para a Alemanha.

© www.deutschland.de

You would like to receive regular information about Germany? Subscribe here: