Assim vivem e trabalham as mulheres na Alemanha

Disparidade salarial e cota de mulheres: a Alemanha debate a igualdade de direitos. Uma verificação da realidade através de dados.

Quantas mulheres vivem, trabalham e governam na Alemanha?
Quantas mulheres vivem, trabalham e governam na Alemanha? Nicolas Hansen/iStock/Getty Images

Mulheres na sociedade

Na Alemanha vive um total aproximado de 41 milhões de mulheres – cerca de dois milhões mais que os homens. Enquanto os homens atingem em média a idade de 78,3 anos, a expectativa de vida das mulheres está em torno de 83,2 anos.

As mulheres dão à luz o seu primeiro filho com a idade média de 30 anos. Estatisticamente, cada mulher tem 1,59 filho – esse dado aumentou nos últimos cinco anos e está se aproximando da média na União Europeia.

 

Quick facts
41
milhões

de mulheres vivem na Alemanha – dois milhões mais que homens.

83,2
anos

é a expectativa de vida das mulheres na Alemanha.

75
por cento

das mulheres entre 20 e 64 anos de idade trabalham fora.

50
por cento

dos formandos de universidades na Alemanha são mulheres.

44
por cento

é a cota das mulheres no gabinete ministerial alemão.

1,6
filho

é estatisticamente o que cada mulher dá à luz na Alemanha.

Mulheres na economia

Como empresárias, chefes, cientistas e especialistas, as mulheres desempenha um papel importante no setor econômico alemão. Segundo os dados do Departamento Federal de Estatística, a Alemanha tem a terceira maior cota de exercício profissional das mulheres, em comparação com os outros países da UE. Em 2017, cerca de 18,4 milhões de mulheres com idade entre 20 e 64 anos exerciam uma atividade remunerada – isso corresponde a cerca de 75 por cento dessa faixa etária. A cota de mulheres em exercício profissional na Alemanha aumentou em oito pontos percentuais nos últimos dez anos. A cota de exercício profissional dos homens está em torno de 83 por cento.

Há um desequilíbrio entre homens e mulheres quanto à remuneração. Em 2017, a disparidade salarial estava em torno de 21 por cento. Descontando as diferenças estruturais, como o trabalho em meio expediente, ainda resta uma diferença de seis por cento menos salário para mulheres com qualificações e atividades comparáveis.

Mulheres em postos de chefia

As mulheres na Alemanha têm excelente formação profissional: mais da metade dos formandos de colégio, cerca de 50 por cento dos formandos de universidade e cerca de 45 por cento dos doutorandos são mulheres. Apesar disso, são sobretudo os homens que ocupam postos de chefia, de acordo com o Ministério Federal de Economia e Energia: 88,4 por cento das cátedras universitárias são ocupadas por homens. E das 185 empresas listadas nos índices DAX, MDAX, SDAX e no TecDAX, bem como das 25 empresas em regime de completa cogestão, apenas seis têm uma mulher como presidente do conselho fiscal.

Apesar disso, há desenvolvimentos positivos: desde 1º de janeiro de 2016, está em vigor a lei que determina uma cota de 30 por cento de mulheres para os postos a serem preenchidos em cerca de 100 grandes empresas.

Fränzi Kühne: a mais jovem integrante de conselho fiscal na Alemanha

Mulheres na política

A Alemanha tem atualmente o gabinete ministerial mais feminino até agora. Com nove homens e sete mulheres chefiando ministérios, a cota feminina atinge quase 44 por cento. Isso é satisfatório, mas diz muito pouco sobre a situação geral da igualdade de direitos na política alemã. Em 2018, cerca de 29 por cento dos ministros, vice-ministros, secretários de Estado e chefes de departamentos eram mulheres. No Parlamento Federal, a cota de mulheres perfaz atualmente pouco mais de 30 por cento.

Quantas mulheres vivem, trabalham e governam na Alemanha?
dpa

You would like to receive regular information about Germany? Subscribe here: