As próprias experiências como encargo

Reem Alabali-Radovan é a nova responsável pela integração a encargo do governo federal alemão. Os temas do seu trabalho já a acompanharam durante toda a sua vida.

Reem Alabali-Radovan
Reem Alabali-Radovan é encarregada da integração desde 2021. picture alliance/dpa

Reem Alabali-Radovan é um exemplo de como a coalizão governamental entre SPD, Verdes e FDP estão se preocupando, também no âmbito de pessoal, com um novo começo na Berlim política. A nova encarregada parlamentar da Migração, dos Refugiados e da Integração é, com 31 anos de idade, a mais jovem secretária parlamentar de Estado, é filiada ao SPD desde o começo de 2021 e é filha de refugiados reconhecidos, pois seus pais foram perseguidos no Irã. Estes fugiram para Moscou, onde sua filha nasceu, vindo em 1966 para a Alemanha, para Schwerin, no Estado de Mecklemburgo-Pomerânia Ocidental.  De certo modo, as suas experiências a prepararam para a sua nova atividade. “Os temas do meu encargo já me acompanharam durante toda a minha vida”, disse ela na tomada de posse como secretária parlamentar no gabinete federal.

Criar chances iguais para todos

Alabali-Radovan promete dar voz às pessoas que se sentem negligenciadas, afirmando estar pronta a ouvir os seus desejos e reivindicações. “Tem que ser normal que todos tenham as mesmas chances de conseguir uma formação ou um emprego”, acentuou ela no seu primeiro pronunciamento no Bundestag (Parlamento Federal Alemão) em meados de janeiro de 2022. “Queremos garantir que é a qualificação que decide e não o nome ou a aparência ou a origem”.  

Esta socialdemocrata quer lutar para que o seu partido venha agir de maneira mais diversificada. Por bastante tempo, ela não teria tido o “simples acesso” ao SPD, diz ela no jornal do partido “Vorwärts”, exigindo: “Temos que nos tornar mais interessantes para os jovens e para as pessoas com históricos migratórios”. E ela própria já comprovara isso nas eleições parlamentares de 2021. Em 2020, ela fora promovida de diretora do escritório a encarregada dos assuntos da integração pelo Estado de Mecklemburgo-Pomerânia Ocidental, conseguindo então um mandato direto na sua circunscrição eleitoral, muito na frente da CDU, que sempre tinha conseguido esse mandato desde 2009.     

A secretária parlamentar do centro de refugiados

Alabali-Radovan estudou Ciências Políticas em Berlim. Em 2015, ela retornou ao nordeste da Alemanha, para trabalhar no primeiro centro de acolhimento de refugiados, no qual ela própria tinha morado quando tinha seis anos. Como hobby, ela pratica pugilismo com grande entusiasmo, é casada com o profissional de pugilismo Denis Radovan, através do qual os temas sobre fuga e integração passaram a ser parte da história familiar. Os pais de Denis fugiram do regime romeno de Ceaușescu, vindo para Colônia.

© www.deutschland.de