Este foi 2017!

O que aconteceu na Alemanha em 2017? Um resumo dos eventos mais importantes.

Jahresrückblick 2017: Diese Ereignisse haben Deutschland bewegt
Jahresrückblick 2017: Diese Ereignisse haben Deutschland bewegt dpa

As manchetes políticas de 2017

Frank-Walter Steinmeier é o novo presidente da Alemanha

A Assembleia Federal Alemã elege em 12 de fevereiro o antigo ministro federal das Relações Externas,  Frank-Walter Steinmeier, a novo presidente federal alemão. Sua longa experiência na diplomacia é muito positiva para o seu novo cargo. Steinmeier aposta no respeito recíproco, na solidificação da democracia, na tolerância e na coesão. 

Frank Walter Steinmeier é o novo presidente federal alemão.
Frank Walter Steinmeier é o novo presidente federal alemão. dpa

A UE completa 60 anos

A União Europeia comemora seu aniversário. Esta comunidade foi fundada há 60 anos, em 25 de março de 1957, através da assinatura dos Römischen Verträge (Tratados de Roma). Mesmo enfrentando hoje muitos desafios, a União Europeia é o maior projeto de paz deste continente. E a ideia europeia da unidade na diversidade sempre estará presente.

Motivo de festa: a UE existe há 60 anos.
Motivo de festa: a UE existe há 60 anos. dpa

Saudando Helmut Kohl pela última vez

A Alemanha e a Europa despedem-se de Helmut Kohl. O “Chanceler da Unidade” falece em 16 de junho aos 87 anos de idade. Ele é o primeiro vulto da história europeia a ser honrado com uma cerimônia memorial, que acontece em 1º de julho em Estrasburgo. 

Retrospectiva de 2017: Despedida do político mundial Helmut Kohl.
Despedida do político mundial Helmut Kohl. dpa

O G20 reúne-se em Hamburgo

O foro central da cooperação internacional em questões financeiras e econômicas, o Gruppe der Zwanzig (Grupo dos Vinte (G20)), reúne-se em 7 e 8 de julho em Hamburgo. O firme propósito da presidência alemã do G20 em relação ao multilateralismo é a ideia central do Kommuniqué der Staats- und Regierungschefs der G20 (comunicado dos chefes de Estado e governo do G20). Este encontro é ofuscado por manifestações militantes e opositores da globalização. Depois dos tumultos fazem-se debates sobre a escalação da violência. Em dezembro, a Alemanha transfere a presidência do G20 à Argentina.

A Alemanha é anfitriã da Cúpula do G20.
A Alemanha é anfitriã da Cúpula do G20. dpa

A Alemanha vai às urnas, mas ainda não pode formar um governo

Em 24 de setembro, os alemães vão às urnas para eleger o novo Parlamento Alemão. Os grandes partidos populares perdem muitos votos. É a primeira vez que o partido populista da AfD tem representação no Parlamento Alemão. Depois de uma pausa de quatro anos, o FDP também volta a ser representado no Parlamento. A maior força política é formada pelo grupo parlamentar CDU/CSU sob a chefia de Angela Merkel. As negociações sobre uma „Jamaika“-Koalition (coalizão “Jamaica”) são difíceis e acabam fracassando. A partir de 2018, os partidos CDU/CSU e SPD começarão a fazer sondagens para uma possível continuação da “Grande Coalizão”, que governou até agora. A chanceler alemã e os ministros continuam exercendo suas funções administrativas até a formação de um novo governo, mantendo dieselben Befugnisse wie eine reguläre Regierung (os mesmos direitos de um governo regular), o que significa que o governo federal alemão continua exercendo suas funções com plenos poderes, até que os novos ministros prestem juramento.

Candidatos a chanceler: Martin Schulz e Angela Merkel.
Candidatos a chanceler: Martin Schulz e Angela Merkel. dpa

Conferência mundial do clima, em Bonn

De 6 a 17 de novembro, Bonn é o palco da maior conferência de Estados até agora organizada na Alemanha. Os participantes da  23ª Conferência das Partes (COP23) da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre a Mudança do Clima, presidida pela República das Fiji, discutem sobre concretos passos para a realização do Acordo de Paris sobre a Proteção do Clima.

Apelo em favor da proteção do clima: Timoci (12), das Ilhas Fiji.
Apelo em favor da proteção do clima: Timoci (12), das Ilhas Fiji. dpa

Prolongando as missões de paz

O Parlamento Alemão prolonga em dezembro os mandatos de sete missões de paz das Forças Armadas Alemãs no Afeganistão, no Iraque, no Mali e no Mar Mediterrâneo. 

Missão de treinamento das Forças Armadas Alemãs no Mali.
Missão de treinamento das Forças Armadas Alemãs no Mali. dpa

O que moveu a cultura na Alemanha em 2017

Arrancada fenomenal

A Elbphilharmonie, a espetacular casa de concertos e novo símbolo de Hamburgo, é inaugurada em 11 de janeiro, com a presença de dignitários políticos – e com Beethoven, Brahms e Benjamin Britten. Não se pensa mais nos dez anos de construção e nos custos decuplicados. Os habitantes da cidade e os turistas adoram a “Elfie”, visitada, no primeiro ano, por quase quatro milhões de pessoas. Os ingressos para quase todos os concertos estão esgotados.

Deleite para os olhos e os ouvidos: a Elbphilharmonie.
Deleite para os olhos e os ouvidos: a Elbphilharmonie. dpa

Prêmio para filme alemão

Nos Festivais de Cinema de Cannes, Diane Kruger recebe, em maio, o prêmio de melhor atriz pelo seu papel no drama “Em Pedaços” (“Aus dem Nichts”), de Fatih Akin. O tema do filme é pesado. Trata-se dos assassínios cometidos pelo terrorismo de direita, o grupo neonazista  NSU. “Em Pedaços” também concorre ao Oscar em 2018. Mais leve e com muito mais humor nas entrelinhas é a tragicomédia “Toni Erdmann”, de Maren Ade. Ela é a grande vencedora do Prêmio Alemão do Cinema, ganhando seis Lolas.

Astros do cinema em 2017: Diane Kruger e Fatih Akin.
Astros do cinema em 2017: Diane Kruger e Fatih Akin. dpa

Arte mundial em Kassel e Atenas

A Documenta, a maior exposição de arte contemporânea, que acontece apenas de cinco em cinco anos, sempre é algo extraordinário. Em 2017, ela é mais especial ainda, pois acontece, pela primeira vez, não somente na Alemanha, mas também em Atenas. Seu mote: “Aprender de Atenas”. O que permanece dos 100 dias de Documenta? Com certeza, as cinco obras artísticas em Kassel, que esta cidade comprou para o museu Neue Galerie. Mas, desta vez, não há nenhuma obra de arte controversa em área pública. A Documenta 14 ficará invisível na silhueta da cidade, ao contrário de muitas outras das suas precedentes.

Documenta 14: panteão dos livros, de Marta Munujin.
Documenta 14: panteão dos livros, de Marta Munujin. dpa

Feriado da Reforma

Os cristãos evangélicos festejam o 500º aniversário da Reforma Protestante em 31 de outubro de 2017, acompanhado por muitos eventos, exposições e cerimônias. Toda uma “Década de Lutero” organiza esse grande acontecimento. Mais sobre Martinho Lutero e a Reforma.

Um ano sob o signo de Lutero: 500 anos da Reforma.
Um ano sob o signo de Lutero: 500 anos da Reforma. dpa

O que surpreendeu a Alemanha em 2017

As mini-hélices giratórias são o brinquedo badalado

“Fidget Spinner”, ou também “Hand Spinner” é a moda do ano no início do verão europeu. Mas esse fenômeno esquisito entra logo no esquecimento. No começo, o ramo de vendas de brinquedos quase não dá conta da demanda, mas, então, essas mini-hélices passam a ficar empoeiradas na prateleira.

A Alemanha na teia de aranha: todos querem o brinquedo Fidget Spinner.
A Alemanha na teia de aranha: todos querem o brinquedo Fidget Spinner. dpa

O lobo está de volta

Desde 1850 não existia mais nenhum lobo na Alemanha. Agora, já devem existir doze alcateias, com cerca de 100 animais, que vivem sobretudo na Alemanha Oriental. O retorno do lobo é um sucesso para a proteção da natureza, mas há pessoas que têm medo deles. É raro que caminhantes encontrem-se com lobos.

Alcateia no Parque Nacional da Floresta Bávara.
Alcateia no Parque Nacional da Floresta Bávara. dpa

A tempestade Xavier

No começo de outubro, a tempestade Xavier é acompanhada de furacões, provocando graves danos, principalmente no norte e no leste da Alemanha. Sete pessoas morrem. O trânsito de trens tem de ser suspendido em muitos trechos ferroviários. 

A Tempestade Xavier deixa um rastro devastador.
A Tempestade Xavier deixa um rastro devastador. dpa

© www.deutschland.de