“Transformei meu hobby em profissão”

O dia a dia de três jovens consiste em jogos para computador. Eles falam sobre sua formação na Games Academy de Berlim.

dpa

Alemanha. Tendo desenvolvido mais de 300 projetos estudantis em 17 anos, a Games Academy de Berlim é o mais produtivo centro de jogos da Europa. Um programador, uma desenhista e uma produtora esclarecem quanto trabalho se esconde em cada jogo para computador.

Martin Reumund, 29 anos, programador de jogos

Martin Reumund, 29 anos

Como é a formação de um Game-Programmer (programador de jogos)?

Aprendemos a programar redes, a desenhar mecanismos próprios, lógicas de sistemas e programação de aparelhos móveis. Depois de uma semana de aulas, temos de desenvolver, em grupo, um jogo na semana seguinte. Então, todos se reúnem: os designers, o artista, o produtor e o programador. 

Quanto demora até que um jogo fique pronto?

Normalmente, dois anos ou mais, dependendo da complexidade. Mas na Academia, temos somente meio ano para um projeto. É pouco tempo para desenvolver um jogo que possa ser lançado no mercado. Mas tentamos consegui-lo com o projeto Super Dashmatch, de dois semestres.  E se temos sucesso, ele pode ser muito bom para um concurso futuro.

O que o senhor fez antes da Academia?

Estudei Arquitetura e trabalhei três anos como designer de mídia e diretor de grupo na imprensa digital. Sempre gostei muito de jogos e queria a todo custo trabalhar neste ramo. Transformei meu hobby em profissão.

Zoe Leandra Nagel, 27 anos, designer digital

Zoe Leandra Nagel, 27 anos

Sendo Digital Artist (artista digital), a senhora trabalha no grupo de desenvolvimento de jogos?

Sim, se se trata da concepção. No início, nós nos ocupamos com o visual de uma figura, com a cor dos seus cabelos, com sua roupa e com a atmosfera. Temos de ser criativos.

E, então, transpor essa ideia para o papel, ou seja, para a tela do computador?

Sim. E isto funciona hoje principalmente através de programas tridimensionais. Aprendemos isto na Academia. Tinha feito antes uma formação no setor da animação clássica, como nos velhos filmes de Walt Disney, onde cada movimento é desenhado à mão e filmado cena por cena. Hoje, criamos imagens visuais com o mouse ou com o tablete. Para tanto, nem precisamos saber desenhar bem. Do que se precisa para programas 3D é principalmente conhecimento técnico.

O que um bom artista digital tem de saber?

Nada mais do que em outras profissões criativas, como, por exemplo, a fotografia. Temos de observar a data de entrega, respeitar as hierarquias e ter a capacidade de trabalhar em grupo. É precisamente na fase da concepção que temos de discutir e experimentar muito. A figura, que devemos criar, já foi projetada por outra pessoa. Com respeito ao pedido “Queremos a figura de uma menina”, um de nós pensa em uma figura forte, com a de Lara Croft, um outro pensa em uma figura muito delicada, com a de Heidi. Encontrar uma solução é um grande desafio.

Mandy Goetz, 26 anos, produtora

Mandy Goetz, 26 anos

Quais são as tarefas de um Game Producer (produtor de jogos)?

Faço tudo aquilo que meus colegas criativos não gostam de fazer, ou seja, que os custos planejados e o cronograma sejam cumpridos. A melhor maneira de descrever isto é: “in time”, in budget” e “in quality”. Gosto de usar uma metáfora para explicar meu trabalho: O artista, o designer e o programador andam por uma rua e eu os acompanho, cuidando de que tudo siga em frente. Se surge um obstáculo, a minha tarefa é a de superá-lo.

Isso é muita responsabilidade.

Exatamente isso! O “Game Producer” tem de ter saber tudo sobre um jogo, da sua concepção até o seu lançamento. Isto exige uma certa experiência de vida e autoridade. Antes da Academia, eu já tinha dois diplomas, um de hoteleira e outro de gerente de comunicação e, depois, trabalhei na administração e na gestão de recursos humanos. Isto tudo é vantajoso. Sendo produtora de jogos, tenho a possibilidade de unir todas essas experiências, usando-as para as coisas de que gosto:  jogar, organizar e calcular.

O que a senhora aprende na Games Academy?

Gerenciamento de custos e riscos, gerenciamento de projetos e, além disso, tudo sobre direitos autorais e licenças. Preciso disto para tomar as decisões certas. Em situações de estresse, tudo depende de manter as coisas sob controle e pensar objetivamente. Não se pode ter medo de confrontos, temos de nos comunicar claramente e, às vezes, ser também autoritários. Muito importante para mim, neste particular, é produzir uma imagem humana. Eu me vejo como acompanhante.

Desenvolvedores de jogos da Alemanha www.deutschland.de

Games Academy de Berlim www.games-academy.de

International Games Week de Berlim www.gamesweekberlin.com

 

© www.deutschland.de