Munique no centro da política mundial

Quarenta chefes de governo – tantos como nunca antes – virão para a Conferência de Segurança em Munique. A importância desse encontro.

Conferência de Segurança em Munique
Conferência de Segurança em Munique dpa

A “Davos da política de segurança” promete ser um evento recordista. O motivo disto é Davos, o foro de economia mundial nos Alpes suíços, que não contou com a presença do governo dos Estados Unidos, por decisão do presidente Trump, por causa do “shutdown”. Mas, ao contrário, os políticos norte-americanos virão para a 55ª Conferência de Segurança em Munique (MSC).

Os temas mais importantes

O fim ameaçador do Tratado de Não-Proliferação de Armas Nucleares de Médio Alcance (INF) está colocando o mundo diante de uma nova corrida armamentista? Será que o Oeste poderá encontrar um ponto comum no trato do Irã? Qual é o futuro da aliança transatlântica? Qual é o destino da Europa em tempos da bagunça do Brexit e do crescente populismo de direita?

Os participantes da Conferência de Segurança de 2019 em Munique

Wolfgang Ischinger, presidente da conferência, conta com um possível número recordista de chefes de governo e Estado. Na lista dos 500 participantes estão os nomes de cerca de 40 presidentes estatais e chefes de governo e de 100 ministros. A chanceler alemã Angela Merkel, o primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu e o presidente egípcio Abdel Fattah al-Sisi já confirmaram sua presença. Os EUA enviará a Munique o seu alto representante, o vice-presidente Mike Pence.

Ao lado de Pence, do gabinete de Trump, o ministro do Exterior Mike Pompeo também estará presente no hotel Bayerischer Hof. A Rússia enviará seu homólogo Sergey Lavrov. Espera-se também a presença do ministro do Exterior do Irã, Mohammad Zarif. Pequim enviará o ministro do Exterior do Partido Comunista, Yang Jiechi.

Do lado alemão, também estarão presentes vários ministros e altos políticos: Heiko Maas, ministro Federal das Relações Exteriores, e Ursula von der Leyen, ministra Federal da Defesa. E, pela primeira vez, a nova presidente do partido da CDU, Annegret Kramp-Karrenbauer, também marcará sua presença.

História da Conferência de Segurança em Munique

A Conferência de Segurança em Munique surgiu em 1963 como um “encontro de classes” dos membros da OTAN durante a Guerra Fria. A partir de fins da década de 1990, esse evento passou a se abrir cada vez mais, primeiramente para os Estados da Europa Central e Oriental, depois também para os participantes de todo o mundo. Segundo a ampla interpretação da palavra “segurança”, sentam-se hoje, lado a lado, os democráticos, os generais, os defensores do meio ambiente e os autócratas. Isso proporciona veementes discussões, oferecendo a possibilidade do contato pessoal longe das câmaras.

Conferência de Segurança em Munique (MSC), de 15 a 17 de fevereiro de 2019

© www.deutschland.de

You would like to receive regular information about Germany? Subscribe here to: