Preservado para a posteridade

Cinco lugares fascinantes na Alemanha poderão em breve ser Patrimônio Mundial da UNESCO. Aqui, nós os apresentamos a vocês. 

Unesco
dpa

Existem 46 sítios do Patrimônio Mundial da UNESCO na Alemanha. Na sessão de 16 a 31 de julho de 2021 do Comitê do Patrimônio Mundial da UNESCO, alguns foram acrescentados. Mostramos quais são esses sítios:

 

Mathildenhöhe em Darmstadt

Mathildenhöhe em Darmstadt: A torre Hochzeitsturm (à esquerda) é o cartão postal da cidade. À direita está a Capela Russa.
Mathildenhöhe em Darmstadt: A torre Hochzeitsturm (à esquerda) é o cartão postal da cidade. À direita está a Capela Russa.
Adobe Stock/Branko Srot

Originalmente, Mathildenhöhe era um vinhedo, mais tarde foi criado um parque. Hoje é a sede da Colônia de Artistas de Darmstadt, um conjunto de casas e edifícios projetados por vários artistas no início do século 20 – principalmente no estilo Art Nouveau. Alguns deles também moravam na casa projetada. Também podem ser vistas esculturas, peças de arte plástica e a Capela Russa. Concluída em 1908, a Hochzeitsturm (Torre do Casamento), do arquiteto Joseph Maria Olbrich, é o cartão postal de Darmstadt. A colônia Mathildenhöhe foi incluída. “Darmstadt, seus cidadãos e cidadãs podem orgulhar-se”, disse o prefeito Jochen Partsch.

www.mathildenhoehe.eu

 

Cidades SchUM Speyer, Worms e Mainz

Talvez em breve um Patrimônio Mundial: O cemitério judeu Heiliger Sand em Worms
Talvez em breve um Patrimônio Mundial: O cemitério judeu Heiliger Sand em Worms
dpa

As cidades de Speyer, Worms e Mainz, localizadas no Reno Médio, foram de grande importância para os judeus asquenazes da Idade Média. Prédios importantes e impressionantes cemitérios históricos são preservados lá ainda hoje. Mas a herança das cidades também é imaterial: elas moldaram a cultura, a religião e a jurisprudência dos judeus da Europa Central e Oriental. “SchUM” é um acrônimo composto das primeiras letras dos nomes hebraicos medievais das três cidades (Schpira, Waw, Mem). Os sítios judeus foram reconhecidos como Patrimônio Mundial.

schumstaedte.de

 

Importantes balneários europeus

No século 19, a cultura balneária florescia na Europa. Algumas cidades termais europeias eram reconhecidas internacionalmente e, portanto, também se tornaram o lugar ideal para o intercâmbio intelectual e cultural. Estas cidades não só tinham uma arquitetura balneária especial, mas também edifícios termais, vilas e parques que valem a pena ver. Da Alemanha, Bad Ems, Bad Kissingen e Baden-Baden foram reconhecidos como Patrimônio Mundial da UNESCO.

 

Limes do Danúbio

O rio Danúbio constituiu antigamente a fronteira do Império Romano.
O rio Danúbio constituiu antigamente a fronteira do Império Romano.
dpa

Protegido por fortalezas e torres de vigia, o Danúbio formou uma fronteira fluvial do Império Romano. O que restou das fortificações de fronteira pode ser visto ainda hoje em vários museus. A fronteira não percorria apenas o território da Alemanha de hoje: por esta razão, a Áustria, a Eslováquia, a Hungria e a Alemanha candidataram-se conjuntamente ao Patrimônio Mundial.

 

Limes da Germânia Inferior

Isto é como poderia ter sido a fronteira do Império Romano: uma torre do Limes, reconstruída às margens do Reno.
Isto é como poderia ter sido a fronteira do Império Romano: uma torre do Limes, reconstruída às margens do Reno.
dpa

A atual Holanda e os Estados alemães da Renânia do Norte-Vestfália e Renânia-Palatinado foram outrora uma região fronteiriça do Império Romano. Com o Reno, também aqui um rio formou a fronteira para a Germânia. É por isso que ele é chamado de também “Limes molhados”. Até 30.000 soldados romanos foram estacionados ali, a cultura floresceu e as cidades da Renânia tiveram seu primeiro apogeu durante este período. Sob a liderança da Holanda, a região candidatou-se com sucesso para que os Limes da Germânia Inferior se tornassem Patrimônio Mundial.

© www.deutschland.de