Inúmeros pequenos centros culturais

O setor cultural internacional não olha apenas para Berlim – mas também para Kassel, Bayreuth ou Recklinghausen.

Instalação de Hiwa K na documenta 14 em Kassel
Instalação de Hiwa K na documenta 14 em Kassel Thomas Lohnes/Getty Images

Quando uma cidade da Alta Francônia, com 74.000 habitantes, é visitada por 58.000 fãs internacionais de ópera, isso significa apenas uma coisa: trata-se novamente do Festival de Bayreuth. Desde 1876, o festival dedica-se às óperas de Richard Wagner.

Altos eventos culturais fora das metrópoles – isso não é raro na Alemanha. Em nenhum país do mundo existe, relativamente ao número de habitantes, tantos teatros, museus e casas de concerto. 130 orquestras sinfônicas e de câmara públicas, cerca de 6.800 museus, 40 pavilhões de festival e cerca de 7.000 festivais: eventos culturais não são realizados apenas nas metrópoles.

Um dos setores teatrais mais diversificados do mundo

A organização descentralizada do setor cultural é decorrência do federalismo. O fomento cultural é primordialmente uma tarefa dos Estados federados. Isso resulta em inúmeros centros culturais, em vez de um centro superpoderoso. Isso se torna especialmente visível no setor teatral, com seus cerca de 140 teatros financiados pelos cofres públicos.

Existem outros numerosos exemplos: a cada cinco anos, o setor artístico internacional volta suas atenções para Kassel, para a documenta, o mais importante acontecimento mundial da arte contemporânea. Renomados festivais de cinema são realizados em cidades quase desconhecidas, como o Festival Internacional de Curtas-Metragens de Oberhausen ou o Festival Internacional de Cinema de Hof. Para dramaturgos contemporâneos de língua alemã, concede-se todos os anos o prestigiado “Prêmio de Dramaturgia de Mülheim”, enquanto na vizinha Recklinghausen é realizado o Festival do Ruhr, o mais antigo festival de teatro da Europa.

Christo em Goslar

Fora das cidades grandes existem também museus renomados: o Centro Internacional de Arte da Luz em Unna, por exemplo, é o único do seu tipo no mundo, segundo informação própria. No Museu Mönchehaus em Goslar, há uma instalação de Christo e o maior museu a céu aberto da Alemanha encontra-se em Detmold.

Musicalmente, não é apenas Wagner que atrai fora das metrópoles: um símbolo da cultura “pop” fora das cidades grandes é o festival Wacken Open Air – um dos maiores festivais de «heavy metal» do mundo. Para ele, cerca de 75.000 fãs de música acorrem todos os anos ao povoado de Wacken, que não tem mais que 2.000 habitantes.

© www.deutschland.de

You would like to receive regular information about Germany?
Subscribe here: