De novo presentes

Elas não podem apresentar o fulgor das metrópoles, mas em vez disso muitas boas ideias: três cidades pouco conhecidas e a sua atratividade.

Ação artística “Offenbacher Seefestpiele”
Ação artística “Offenbacher Seefestpiele” Andreas Arnold/dpa

Quase nenhum “ranking” de cidades alemãs funciona sem Berlim, Munique e Hamburgo. Mas o que ocorre com as cidades menores? Nenhuma atratividade? Engano. Reurbanização é como se denomina o desenvolvimento que traz o impulso para além das metrópoles. Três exemplos.

A inteligente: Halle an der Saale

A estatística já tinha quase esquecido de Halle. Recordista em empregos e bem-estar na época da RDA, a cidade sofreu com o fechamento de indústrias, o desemprego e a emigração depois da reunificação alemã. Mas seu número de habitantes aumenta novamente desde 2010. Nisso, os estudantes universitários desempenham um papel importante. Além disso, Halle tornou-se um ponto de atração para pesquisadores: a Sociedade Max Planck possui aí dois institutos, a Sociedade Fraunhofer até mesmo três. Ao lado de um centro da Comunidade Helmholtz, há a Academia Nacional de Ciências Leopoldina. A isso somam-se laboratórios empresariais e o Hospital das Clínicas da Universidade. No antigo polo industrial, surgem hoje inovações, por exemplo, nas áreas de nanotecnologia e de tecnologia solar.

A criativa: Offenbach am Main

Chamar Offenbach de “pequena irmã de Frankfurt” foi bastante ousado até há pouco tempo. Para os habitantes de Frankfurt, a cidade vizinha era antes uma espécie de prima malquista. Porém, a tosca cidade industrial reinventou-se. Offenbach transformou-se no centro da economia criativa da Região Reno-Meno, com uma renomada Escola Superior de Arte e Design, áreas de moradia e de trabalho a preços módicos e uma sociedade diversificada. Agora, também a população de Frankfurt aprecia a parente próxima: cada vez mais pessoas mudam-se para Offenbach.

A sustentável: Osnabrück

Talvez se deva ao compromisso como signatária da Paz de Vestfália, que a participação dos seus cidadãos seja especialmente valorizada em Osnabrück. Eles podem contribuir com ideias para o desenvolvimento urbano nos seus passeios pela cidade e nas chamadas oficinas cívicas. O parlamento juvenil e inúmeros outros grupos participam de decisões nas questões municipais. Ideias exemplares para a proteção do clima, como ciclovias expressas e uma frota de ônibus elétricos, contribuíram para que Osnabrück fosse declarada com a cidade mais sustentável da Alemanha em 2020. Não é de se admirar assim, que muitas pessoas vejam nela o seu futuro: a cidade atingiu recentemente valores recordistas de novos moradores.

© www.deutschland.de

You would like to receive regular information about Germany?
Subscribe here: