Hacker no museu

“Por favor, não toque” já não é mais válido! Os museus abrem seus tesouros culturais aos hackers. Assim, eles transformam documentos históricos em interessantes aplicativos.

Coding da Vinci Ost 2018
Coding da Vinci Ost 2018

Você quer compor ritmos dançantes a partir de sons de animais, aprender on-line a esgrima ou redescobrir ciclovias históricas? Alegre-se então com os resultados da hackathon cultural “Coding Da Vinci”.

Coding da Vinci Ost 2018
Thomas Kademann

O que é o “Coding Da Vinci”?

A quarta edição da hackathon é um dos pontos da programação do Ano do Patrimônio Cultural Europeu 2018 e é organizada pela Biblioteca da Universidade de Leipzig, pelo Instituto de Tecnologias Digitais e o laboratório OK Lab Leipzig. 30 institutos culturais da Saxônia, da Saxônia-Anhalt e da Turíngia abriram seus arquivos para jovens aficionados da técnica. Em workshops, os programadores, designers e hackers digitalizam desenhos, fotografias, documentos escritos e sonoros e transformam os dados em aplicativos, jogos e mapas interativos.

Quais são as metas do “Coding Da Vinci”?

A interligação entre cultura e técnica. Os fundadores do “Coding Da Vinci” querem criar estruturas, nas quais os institutos culturais e os programadores possam cooperar com base em dados de livre acesso.

Que chances traz a digitalização dos bens culturais?

Cada vez mais institutos culturais na Alemanha digitalizam seus acervos, a fim compartilhá-los com o público e despertar o entusiasmo de mais pessoas pelo patrimônio cultural. Além disso, o conhecimento é enriquecido e levado a novos contextos.

Quais são os projetos existentes?

Desde 2014, 400 participantes do “Coding Da Vinci” já desenvolveram 54 programas culturais digitais. Especialmente apreciados são os aplicativos para aparelhos móveis. Por exemplo, o “zzZwitscherwecker” de 2014: um despertador que só pode ser desligado, quando se atribui ao passarinho correto o canto tocado como melodia para despertar. Projetos da hackathon de 2018 são, por exemplo, mapas interativos para excursões através do leste de Berlim ou excursões de bicicleta por ciclovias históricas. Um jogo on-line surgiu a partir dos dados da coleção de frutas de cera da fundação Schloss Friedenstein: seguindo o modelo do “Guitar Hero”, o usuário tem de separar o mais rapidamente possível as maçãs e peras que voam em sua direção.

Quando poderão ser vistos os resultados do “Coding Da Vinci”?

Desde meados de abril, as equipes trabalham nos seus projetos. Os melhores serão destacados na solenidade de premiação em Leipzig, no dia 16 de junho.

Leia mais aqui sobre a Coding Da Vinci.

© www.deutschland.de