A pegadinha de abril e sua tradição

Em 1º de abril, os alemães fazem pegadinhas com histórias espetaculares.

dpa/Karl-Josef Hildenbrand - April Fools’ Joke

O 1º de abril é na Alemanha um dia em que não se pode confiar. Tradicionalmente, esta data é usada até hoje para enganar os concidadãos com tarefas curiosas ou com mensagens birutas, para que todos possam se divertir. Sinônimo de “1º de abril” é também “Jemanden in den April schicken“ (enviar alguém ao abril). Essa expressão foi notificada pela primeira vez em 1618 na Baviera.  A expressão “Aprilscherz” (piada de abril) já é encontrada na segunda metade do século XIX. Há diversas versões da sua origem. Na crença popular da antiguidade, já teria havido dias de azar, entre os quais também o 1º de abril. Existem também menções que se referem ao Parlamento de Augsburg, de 1530, onde especuladores foram ridicularizados por terem perdido dinheiro em 1º de abril, o que fez dessa data o “Narrenfeiertag” (feriado dos tolos).

Falsa Missa de Schubert

Não importa de onde o 1º de abril venha. Ele continua sendo celebrado tradicionalmente na mídia. A mais velha pegadinha de abril foi divulgada em 1º de abril de 1774 em um jornal na Alemanha. Foi uma dica absurda de como se poderiam criar galinhas coloridas. A piada de abril mais exagerada da mídia foi feita pela emissora de rádio WDR, de Colônia. Ela irradiou “a estreia mundial de uma Missa em Dó Maior de Franz Schubert, até então desconhecida e só descoberta depois de muita aventura”. Os ouvintes ficaram empolgados. Em verdade, isto não passava de uma aposta entre músicos, ou seja, da composição de uma obra musical que fizesse os ouvintes crer que se tratava de uma obra-prima do romantismo clássico, como a emissora comunicou pouco depois. Franz Schubert nada tinha a ver com isso. 1º de abril!

© www.deutschland.de