“Pode me chamar de Emma Tiger”

Como deverá chamar-se o bebê? Estas são as tendências de prenomes na Alemanha – e as limitações para a fantasia dos pais. 

Prenomes: Os pais podem escolher entre mais de 500.000 nomes para os seus filhos.
Os pais podem escolher entre mais de 500.000 nomes para os seus filhos. dpa

Alemanha. Giannis, Emma Tiger, Emelie-Extra ou Sundance? As famílias na Alemanha são criativas na escolha dos nomes para seus bebês. A lista oficial de prenomes reconhecidos torna-se mais longa de ano para ano. Alguns pais preferem criações próprias ou deixam-se inspirar por outras culturas. Mas nem tudo é permitido. Nós esclarecemos os fatos.

Quantos prenomes existem na Alemanha?

500.000 prenomes estão inscritos nos cartórios de registro civil da Alemanha e continuamente são acrescentados novos: “Todos os anos, cerca de 1.000 novos nomes são reconhecidos pelos cartórios de registro civil”, afirma Gabriele Rodriguez da Consultoria de Nomes da Universidade de Leipzig, que faz parte do Centro de Onomástica da Universidade. Rodriguez é pesquisadora de prenomes e orienta os pais sobre a escolha de nomes incomuns.

Por que surgem tantos prenomes novos?

O individualismo e a globalização trazem nomes de outros círculos culturais para a Alemanha e criam novas tendências. Também uma grafia diferenciada dá aparência extravagante a prenomes comuns. Alguns pais desejam “fusionar” dois nomes da história familiar: partindo, por exemplo, de Thorsten e Dieter, surge o nome Thodi; de Kerstin e Ron, Keron. Uma outra variação: “Um bebê alemão-africano recebeu como segundo prenome uma nova combinação de África e Europa: Afrope”, conta Rodriguez.

O que é permitido – e o que não?

O decisivo é: o prenome não pode prejudicar o bem da criança. Além disso, o sexo deve ser reconhecido através do nome. Há algumas décadas, a criatividade ainda enfrentava limitações muito maiores: somente depois da Segunda Guerra Mundial é que se desenvolveu o direito de livre escolha de nomes.

O que mudou desde 1900?

Ainda no início do século 20, a tradição e a religião determinavam o prenome de uma criança: “O primogênito recebia frequentemente o nome do pai ou do avô; os demais filhos, o nome dos seus padrinhos”, esclarece Rodriguez. Os católicos orientavam-se pelos nomes dos santos. Na década de 1960, a tendência era para nomes escandinavos, posteriormente anglo-americanos. Astros do cinema, da música e da internet também são hoje inspiração para a escolha dos nomes.

Que prenomes são os prediletos atualmente?

Apesar da riqueza de ideias, os nomes independentes de moda são os mais frequentemente escolhidos. Entre as meninas, Emma, Hanna, Mia, Sophia, Anna e Marie encabeçam a Lista dos Prenomes Prediletos. Entre os meninos, está no alto da lista Ben, Jonas, Leon, Paul, Noah e Elias. “Além disso, nomes germânicos tradicionais como Ida, Karl e Frieda voltam a ser modernos”, diz Gabriele Rodriguez.

Informações sobre prenomes na Alemanha:

Sociedade da Língua Alemã (GfDS)

Consultoria de Nomes da Universidade de Leipzig

Prenomes prediletos

© www.deutschland.de